Montijo, Alcochete, Ota? PSD Distrital de Santarém quer novo aeroporto em Tancos

Em Região

PSD Distrital de Santarém defende que “Tancos, como Terminal 3 do Aeroporto de Lisboa, é a solução mais rápida e económica para o País, enquanto se discute a localização do novo aeroporto”.

Em comunicado, o PSD Distrital de Santarém afirma que “face ao indeferimento da Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) ao pedido de viabilidade para a construção do aeroporto do Montijo, conhecido ontem, volta a salientar que a abertura à aviação civil da Base Aérea de Tancos pode ser a solução transitória, rápida e pouco onerosa para a expansão da capacidade aeroportuária de Lisboa”.

“Sempre defendemos, como outras organizações e entidades, que a decisão do novo aeroporto carece de uma Avaliação Ambiental Estratégica, que compare soluções e indique a melhor opção, algo que entendemos ser obrigatório para um investimento desta dimensão e que, estranhamente, o Governo sempre recusou, permitindo que, entretanto, avançassem as obras de ampliação do Aeroporto Humberto Delgado,” afirma o PSD Distrital de Santarém.

O PSD Distrital de Santarém diz ver “com agrado uma mudança de rumo, tendo sido avançado que serão consideradas três soluções, incluindo a construção do novo aeroporto no Campo de Tiro da Força Aérea (Benavente/Alcochete)”. 

Neste novo contexto, o PSD Distrital de Santarém vem reafirmar o que tem debatido e defendido nos últimos anos, “é muito importante que possam ser analisados, no âmbito da Avaliação Ambiental Estratégica, vários cenários”.

Considera que deve ser analisado o “Campo de Tiro da Força Aérea, comumente designado por Campo de Tiro de Alcochete mas que, na verdade, se localiza maioritariamente no concelho de Benavente, é a solução ideal para a construção do novo grande aeroporto de Portugal. Não tem os constrangimentos espaciais, ambientais ou de operacionalidade do Montijo, e oferece a alternativa necessária para que Lisboa e o país possam ter, finalmente, uma infraestrutura aeroportuária condicente com as necessidades do setor”. 

O PSD defende que “a abertura a aviação civil da Base Aérea de Tancos, como Terminal 3 do Aeroporto Humberto Delgado, pode ser a solução transitória para o período em que o país projeta, financia e constrói o Novo Aeroporto de Lisboa e posteriormente permanecer como aeroporto regional que servirá uma vasta região do País, nomeadamente com a proximidade do turismo religioso de Fátima e todo o interior centro. Com condições técnicas que pilotos e técnicos reconhecem como muito favoráveis, com a A1, a A23 e a A13 à porta, a Linha do Norte, a do Este e o principal nó ferroviário do Entroncamento a poucos quilómetros, é possível implementar esta solução de Tancos de forma rápida e pouco exigente do ponto financeiro, respondendo às necessidades de promoção da coesão territorial, dado o enquadramento face à região Centro e ao interior do país”.

O PSD Distrital de Santarém “insiste na utilização de Tancos nas condições indicadas por considerar que é a melhor para Portugal, mas também porque acreditamos que a abertura à aviação civil daquela Base Aérea de Tancos é a oportunidade para consolidar o cluster regional em torno dos transportes e logística, com potencialidades significativas para e economia e para o emprego em toda a região”.

Leave a Reply