Comeres & beberes – Conde Vimioso, Superior 2018

Em Ribatejo Cool

Ao escrever sobre um vinho procuro ponderar as palavras de apreciação porque sei quão elas podem ser perigosas, para o bem, para o mal, para o produtor, para mim próprio na justa medida de quem lê faz o seu próprio juízo acerca do lido. Como sabemos, eu e o leitor, opiniões há muitas e, também nesta matéria, difícil matéria, podemos correr o risco expresso no milenar e terrível comentário de Apeles: não vá o sapateiro subir acima da chinela.

Amante e amigo de vinhos procuro expandir a minha opinião sem farroncas de crítico, sim de quem prova e bebe há cinquenta anos e, relativamente a este tinto proveniente das castas Castelão, Cabernet Sauvignon, Petit Verdot e Touriga Nacional, granadino ao quadrado, prenho de aromas a fruta silvestre bem madura, a mato e mineral de sequeiro e florais de bosque, que o palato classifica de harmonioso, pujante e muito guloso.

Acho-o substancioso no acompanhamento de caça (especialmente de pena), peixes fumados e ovas, aves de capoeira, carnes fumadas e magras, voluptuoso (testei-o duas vezes) de queijos em fase de entorna e curados. Mais um vinho a enaltecer o produtor.

Origem TEJO. Produzido e engarrafado por FALUA, Sociedade de Vinhos. Ano de colheita: 2018. Graduação: 14º.

Armando Fernandes

Leave a Reply