Atletismo – Portugal termina em segundo lugar no quadro de medalhas dos campeonatos Europeus

Em Nacional

Portugal, com três títulos nos Europeus de atletismo de pista coberta de Torun, na Polónia, fecha a edição com um inédito segundo lugar no quadro de medalhas, logo atrás de Holanda, que obteve quatro ouros.

Pode ser uma imagem de 5 pessoas e texto que diz "JORGEJESUS ADMITE TRAVAO NO INVESTIMENTO Belenenses AD P.4A6 Benfica "Quero cumprir contrato" TREINADOR "MATA, ADVERSÁRIOS PROMETE GRÁTIS DAMAS DEOURO PHOJE MAIS DE Recorr SergioKrithinas 1000 PREMIOS INTERNACIONAIS PEGOES PORTUGUESES DEPOIS DE DONGMO NO PESO, PICHARDO EPATRICIA MAMONA DE BEM VENCEM PROVAS DE TRIPLO SALTO "Estava um bocadinho baixo mas fui buscar forças lá no fundo" PARO MAMONA PORTUGAL TORUŃ 2021 "Ganhar uma forma de agradecer que Portugal por mim" EUROPEUS DE PISTA INTERNACIONALP.31 LFERREIRA CONQUISTA COPA BRASIL GREMIO TACA FOI PARAOLEÃO PARAO 3-1 LATERAL PORRO RECUPER REGRESSA EM TONDELA AMORIM PREPARA VARIAÇÕES MBEMBA PEPE ECORONA SEGUEM VIAGEM MARÍTIMOO-2MOREIRESE ROAE2-0"

O triplo sucesso luso na Polónia, através de Auriol Dongmo, Patrícia Mamona e Pedro Pichardo, é mesmo o melhor registo de sempre da seleção lusa, que só tinha tido duas vitórias por uma ocasião, em 1996, em Estocolmo.

Com quatro medalhas de ouro, uma de prata e duas de bronze, a Holanda é o destaque coletivo desta edição, aparecendo em terceiro, logo atrás de Portugal, com dois triunfos, Grã-Bretanha, Bélgica, França, Ucrânia, Noruega e Suíça.

No conjunto de todas as medalhas, Portugal ‘desce’ na listagem para nono, numa lista encabeçada pela Grã-Bretanha (12), seguida pela Polónia (10) e Holanda (sete).

No total, 20 países conseguiram medalhas, confirmando a tendência para maior distribuição que se esperava, face à ausência de atletas da Rússia.

A nível individual, o único multimedalhado foi o ‘fenómeno’ norueguês Jakob Ingerbritsen, que fez a ‘dobradinha’ nos 1.500 e 3.000 metros.

Leave a Reply