Sistema de Alcanena em destaque no 15.º congresso da Água da APRH

Em Região

O modelo de intervenção no tratamento de sulfuretos e de gás sulfídrico do sistema de saneamento e drenagem de águas residuais de Alcanena é o tema que a AQUANENA vai apresentar ao 15.º Congresso da APRH – Associação Portuguesa dos Recursos Hídricos, que que terá lugar nos próximos dias 22 a 26 de março, em formato digital.

A AQUANENA irá apresentar o tema em conjunto com o Professor José Saldanha Matos e a sua equipa da HIDRA, no dia 23 de março, integrando o painel sobre “Serviços de Abastecimento, drenagem e tratamento de águas/Otimização em sistema de abastecimento”, que decorre entre as 15h00 e as 16h00.

O “Modelação de Sulfuretos e de Gás Sulfídrico no Sistema de Drenagem de Águas Residuais Industriais de Alcanena” é o tema da comunicação que abordará os resultados e as conclusões das campanhas de monitorização de sulfuretos e gás sulfídrico que foram realizadas no sistema de Alcanena com o objetivo de caracterizar o seu desempenho, do ponto de vista do balanço de sulfuretos.

O trabalho a apresentar tem a autoria de José Saldanha Matos (HIDRA), de Manuel Peixeiro (Universidade de Lisboa), da Filipa Ferreira (Instituto Superior Técnico), de isabel Pires (Diretora Geral da AQUANENA), de Miguel Guerreiro (Diretor de Exploração da AQUANENA), de Maria Silva e Cristiana Fojo (quadros superiores AQUANENA).

Em destaque vai estar o modelo de previsão AeroSept+ (Aerobiose e Septicidade em sistemas de águas residuais), que foi implementado e adaptado pela HIDRA ao sistema de drenagem de Alcanena.

Estas campanhas de monitorização de sulfuretos e gás sulfídrico realizaram-se entre os dias 6 e 29 de julho de 2020, em três secções de monitorização, uma em cada emissário (Monsanto, Vila Moreira e Gouxaria).

O modelo AeroSept+, inicialmente desenvolvido em 1992, no âmbito de uma tese de doutoramento do professor José Saldanha Matos, tem sido atualizado ao longo do tempo, como resultado de várias investigações de doutoramento orientadas pelo especialista. É um modelo que permite a avaliação das concentrações de oxigénio dissolvido e de sulfuretos totais (na massa líquida), bem como de sulfureto de hidrogénio na massa líquida e na fase gasosa.

O modelo foi já aplicado a diversos casos a nível nacional, como, por exemplo, aos sistemas de águas residuais de Lisboa, da Costa do Estoril, do Funchal, da Ericeira, de Almada e do Barreiro, e também internacionalmente.

Uma das conclusões é que a septicidade em redes de drenagem pode ser muito agravada com a descarga de efluentes com elevadas cargas de sulfuretos, como ocorre no caso de unidades industriais de curtumes.

Com base nos resultados obtidos, o estudo propõe, como medida de beneficiação, a adição de Cloreto de Ferro em estações de pré-tratamento e monitorização. É ainda proposta a adoção de medidas para controlo na origem da descarga de sulfuretos das unidades industriais, assim como a instalação de medidores de concentração de sulfuretos dissolvidos e pH da massa líquida, em contínuo, pelo menos nas unidades industriais principais, designadamente as que integrem a operação de caleiro. São ainda identificadas e quantificadas intervenções ao nível da ETAR.

Estas medidas, entre outras, integram a proposta de Plano Estratégico para a Evolução do Sistema de Alcanena, que está em elaboração por parte da AQUANENA, em parceria com o Município de Alcanena e com a consultoria técnica da HIDRA.

O 15.º Congresso da Água tem como tema “Para uma política da água em Portugal – o contributo da APRH”. Mais informações através do site https://www.aprh.pt/congressoagua2021/.

Leave a Reply