Economia Local deve ser uma Prioridade Municipal em Tomar

Em Correio dos Leitores

A economia local deve ser uma das prioridades de qualquer município, mais ainda no contexto da pandemia que vivemos atualmente. Economia local que apesar de, por vezes, parecer apenas um chavão utilizado pelos políticos é, na verdade, algo de muito concreto.

É o tecido empresarial, os empresários, os industriais, os comerciantes, os empreendedores – todos aqueles que investem, que criam emprego e que geram riqueza na nossa comunidade. São fundamentais para o desenvolvimento do nosso território e devem, por isso, ser acompanhados e apoiados por quem nos governa, à escala nacional e pelo poder local.

Numa conjuntura socioeconómica fustigada pela Covid-19, cujos efeitos são ainda imprevisíveis, o apoio e a colaboração do Município aos agentes económicos torna-se ainda mais importante. Temos setores da nossa economia como o turismo, a hotelaria, a restauração, o comércio local e muitos outros que atravessam uma fase muito complicada, em alguns casos a lutar pela sobrevivência.

Por exemplo, estudos recentes das associações do setor da restauração apontam que quase metade dos cafés e restaurantes poderão não sobreviver e 36% não tinham conseguido pagar na totalidade os salários de janeiro. Em Tomar, estes setores constituem um importante pilar da nossa economia e representam muitos postos de trabalho, diretos e indiretos.

Se os profissionais de saúde têm a importante missão de salvar vidas, cabe aos políticos e, em particular, aos autarcas lutar para salvar empresas e famílias. Cabe à Câmara Municipal de Tomar trabalhar para apoiar aqueles que cá vivem, estudam ou trabalham.

Até à data, da parte da governação socialista temos assistido a pequenas ações pontuais que, apesar do mérito que possam ter, ficam muito aquém daquilo que se espera de quem tem a responsabilidade de governar o concelho.

Mais do que iniciativas avulsas, queremos ver uma governação proativa, com um plano estratégico de ação para numa primeira fase minimizar os prejuízos que esta pandemia tem causado à nossa economia e de seguida catapultar a recuperação e o crescimento económico.

As vendas online têm sido uma oportunidade para muitas pequenas e médias empresas que encontraram na internet um novo canal de vendas que lhes permitiu atenuar os prejuízos causados pelos confinamentos. Em 2020, estima-se que o comércio online tenha crescido 27,6% e este ano continuará a crescer acima dos 2 dígitos. Em Tomar, as vendas online em 2020 foram uma oportunidade perdida por incapacidade da governação socialista.

Desde o verão passado que existe uma plataforma dos CTT que permite aos comerciantes terem o seu espaço para venda online. Em agosto os vereadores do PSD propuseram em reunião de Câmara que o município de Tomar aderisse a esta app do comércio local, permitindo que os empresários tomarenses pudessem colocar com facilidade os seus negócios online. A governação socialista rejeitou esta proposta, alegando que teria em construção a sua própria plataforma de comércio online que estaria pronta a tempo do Natal.

O Natal passou e nada. Em fevereiro vieram então apresentar a adesão à plataforma de comércio online dos CTT, 6 meses depois do proposto pelo PSD, justificando-se com uma possível redução do custo da adesão do município à app. Uma poupança de cerca de 15 mil € que para o orçamento municipal não tem grande expressão, mas que para os comerciantes e empresas tomarenses teria um impacto muito significativo. Foram 6 meses perdidos em que poderiam estar já a vender na internet, tivesse a Câmara Municipal tido a capacidade de atuar no momento certo.

Chega a ser frustrante para nós tomarenses ver que quem nos governa decide, na maioria das vezes, tarde e a más horas e que no paradigma atual de competitividade entre os territórios Tomar estagnou.

Tarde e a más horas, quando chega.

A incubadora de empresas nunca chegou. Uma infraestrutura capaz de albergar e apoiar empreendedores e startups, que potenciasse a criação de negócios inovadores, geradores de emprego qualificado e mais-valias. Olhemos à nossa volta, estamos na cauda da nossa região no que toca ao apoio ao empreendedorismo.

Mais do que festas e foguetes, Tomar precisa de uma política séria e competente de desenvolvimento económico. O investimento municipal na economia tem um efeito multiplicador e um retorno muito significativo.

Ganha o Município, ganham as empresas, mas, acima de tudo, ganham as pessoas. Investir nas empresas e nas pessoas é investir no futuro. E o futuro constrói-se no presente.

Tiago Carrão, Vice-Presidente do PSD de Tomar

Tiago Carrão
Vice-Presidente do PSD de Tomar

Leave a Reply