Hackathon 100% Colaborativo da Santa Casa procura soluções para o futuro da Economia Social

Em Educação/Empresas

Procuram-se estudantes, recém licenciados, membros das comunidades alumni e colaboradores de organizações sociais para participar na segunda edição do Hackathon 100% Colaborativo e digital da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, este ano num formato totalmente digital. O objetivo é desenvolver soluções inovadoras para o futuro da Economia Social. Há 15.000 euros em prémios e as inscrições estão abertas aqui, até ao dia 23 de março.

Com o objetivo de perspetivar tendências para a construção de soluções para os desafios do amanhã, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, com base numa estratégia colaborativa, vem promover a participação e a responsabilização de vários públicos nos processos de governação e decisão. O Hackathon 100% Colaborativo visa o desenvolvimento de soluções para um futuro mais sustentável da economia social.

“Para desenhar o futuro da Economia Social a cooperação é essencial. Pretendemos promover uma cultura colaborativa que impulsione a inovação, agilidade e eficiência de novas soluções. Vamos juntar jovens licenciados e colaboradores das organizações do sociais em equipas multidisciplinares, e em conjunto, desenhar propostas de futuro para um setor de grande importância para o nosso País e para a nossa Economia. Com o grande enfoque que damos à capacitação, vamos dotar os participantes de uma série de novas metodologias de trabalho e ferramentas digitais, que vão poder utilizar no dia-a-dia das suas organizações e nos próximos desafios profissionais.”, esclarece sobre o processo Inês Sequeira, diretora do Departamento de Empreendedorismo e Economia Social (DEES) e fundadora e diretora da Casa do Impacto da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

As soluções desenvolvidas podem vir a ser implementadas, uma vez que estão envolvidas estruturas e organizações com conhecimento, ferramentas e redes capazes, como a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, entre vários parceiros como a Cooperativa António Sérgio para a Economia Social, o Instituto do Emprego e Formação Profissional, a Estrutura de Missão Portugal Digital, o Banco Montepio, o Instituto Padre António Vieira ou a Associação WACT – We Are Changing Together.

“Aproveitando as competências e a visão dos vários participantes, pretendemos que o setor saia desta iniciativa reforçado, capacitado e ciente dos vários desafios que enfrenta. Apto para formular respostas inovadoras para os opor, num momento em que é crucial para o nosso País. Fiel à razão da sua existência e consciente do legado de cinco séculos de história, acrescidas responsabilidades sociais e de desenvolvimento sustentável, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa pretende através desta iniciativa contribuir para a discussão do Futuro da Economia Social em quatro áreas centrais: o papel da transição digital na redução das desigualdades, o recrutamento e retenção de talento no setor, a sustentabilidade financeira e a avaliação de impacto, “ conclui, Inês Sequeira.

Hackathon 100% colaborativo: Como fazer parte da solução?

As candidaturas são individuais e direcionadas a um determinado desafio em que se pretende desenvolver a solução. São esses:

  • ●       O digital na Economia Social – o papel da transição digital na redução das desigualdades e na promoção da inclusão social;
  • ●       O futuro do trabalho no setor da Economia Social – recrutamento e retenção de quadros para a renovação do setor e intervenção dos mesmos no seu desenvolvimento;
  • ●       A sustentabilidade da Economia Social – busca de redes alternativas de financiamento de longo prazo que acrescentem valor social, ambiental e económico ao setor;
  • ●       A avaliação de impacto na Economia Social – escalabilidade do efeito positivo do setor e medição do impacto social da mudança provocada.

Os anúncios dos selecionados e equipas (interdisciplinares e intersetoriais) serão  feitos nos dias 24 e 26 de março. Vão participar 16 equipas de cinco elementos cada – quatro equipas para cada um dos quatro desafios.

O Hackathon será uma maratona de trabalho com duração de duas semanas. Haverá espaço para a capacitação, webinars, talks, tutoriais, toolkits, mentoria e ideação. No dia 26 de Abril terá lugar a sessão de pitch e entrega de prémios. Há 15.000 euros em prémios para as quatro equipas vencedoras de cada desafio que vão ganhar 3.750 euros cada.

Para esclarecimentos sobre o Hackathon 100% colaborativo:

https://taikai.network/en/santa-casa-da-misericordia-de-lisboa/challenges/100colaborativo

Leave a Reply

Recentes de Educação

Ir para Início
%d bloggers like this: