Deputados do PSD criticam atrasos nos pagamentos do Ministério da Cultura à Rota Cultural em Abrantes, Sardoal e Mação

Em Região

Os deputados do PSD eleitos pelo distrito de Santarém enviaram uma Pergunta Parlamentar à Ministra da Cultura com um conjunto de questões sobre os atrasos nos pagamentos às associações que participaram no Orçamento Participativo de Portugal 2017. A ACROM – Associação Cultural das Rotas das Mouriscas – venceu uma destas candidaturas  com a criação da Rota Cultural Etnográfica das Ribeiras de Arcês e Rio Frio, e do Rio Tejo que junta os concelhos de Abrantes, Sardoal e Mação.

Apesar desta Rota já ter sido inaugurada em 2020, a Direção Geral do Património Cultural continua com uma dívida de cerca de 50 mil euros para com esta associação que a impede de pagar as suas obrigações com as empresas fornecedoras e de cumprir os seus compromissos. Segundo os deputados, apenas teve lugar um adiantamento inicial de 28 mil euros de um projeto orçamentado em 80 mil euros.

Os deputados do PSD eleitos por Santarém, Duarte Marques, Isaura Morais e João Moura, em conjunto com outros deputados da Comissão de Cultura da Assembleia da República deram entrada de uma Pergunta Parlamentar no sentido de levar o Governo a resolver de imediato esta situação e a resolver o embaraço que criaram aos promotores e aos autarcas da região.

Para o deputado Duarte Marques, 1.º subscritor desta iniciativa, “é  inaceitável que estas constantes dívidas e calotes do Governo a associações prejudiquem o trabalho e até a imagem de pessoas que deram a cara pelos projetos e acreditaram nas iniciativas do Governo. Isto é recorrente, preocupam se em lançar programas e propaganda mas depois nem a emails respondem aos alegados parceiros.”

“Esta situação acontece hoje com estas associações, mas ontem foi com as autarquias e para a semana é com os empresários ou cidadãos que fez um investimento de acordo com um programa do Governo mas que só recebe anos depois e por vezes nem chega a receber. É um desrespeito total pelas pessoas. O Estado e o governo têm que dar o exemplo e pagar a tempo e a horas.”

A Rota Cultural Etnográfica das Ribeiras de Arcês e Rio Frio, e do Rio Tejo foi inaugurada em 26 de setembro de 2020 e classificada como grande rota GR-55 pela Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal (FCMO). Percorre os municípios de Abrantes, Mação e Sardoal.

“Importa salientar que são parceiros deste projeto e integram o protocolo assinado com a DGPC, além da entidade promotora – a Associação Cultural das Rotas das Mouriscas (ACROM)- as autarquias pelas quais passa esta rota, nomeadamente a Câmara Municipal de Abrantes, a Câmara Municipal do Sardoal e a Câmara Municipal de Mação”, referem os deputados.

Leave a Reply

Recentes de Região

Ir para Início
%d bloggers like this: