Nersant realiza fórum online de oportunidades de negócio entre Eslováquia e Portugal

Em Empresas

A promoção do Ribatejo como destino de investimento externo e o apoio à internacionalização das empresas desta região continua a ser um dos objetivos da NERSANT – Associação Empresarial da Região de Santarém. Com esta missão, a associação realizou ontem, 24 de março, o Roadshow Eslováquia / Portugal, conferência online que deu a conhecer as oportunidades de negócios entre os dois países. Entre os oradores, estiveram Oldich Hlaváek, Embaixador da Eslováquia em Lisboa e Fernando Teles Fazendeiro, Embaixador de Portugal em Bratislava. Participaram no evento online 55 empresas eslovacas.

Para a realização da conferência online, a NERSANT convidou a SARIO – Agência de Investimento e Comércio Externo da Eslováquia. Egon Zorad, Diretor do Departamento de Comércio Internacional da referida agência eslovaca, iniciou a conferência com um agradecimento à NERSANT pelo interesse no país e pela organização do evento. “Estamos muito satisfeitos por podermos fornecer informações sobre o território e possibilidades de negócio da Eslováquia, apesar da impossibilidade de viajar para outros países”, disse Egon Zorad, que acredita no reforço das relações comerciais entre a Eslováquia e Portugal. “O mercado português é interessante para as empresas eslovacas, e a prova disso é o interesse das empresas eslovacas no evento, que totaliza mais de 50 participantes”, constatou.

Domingos Chambel, Presidente da Direção da NERSANT, marcou presença na sessão de abertura, tendo começado por referir que “Portugal e a Eslováquia têm muitos interesses a desenvolver, têm muitas particularidades e assuntos em comum”. Enumerou de seguida “o perfil de empresário muito idêntico”, referindo o setor agroalimentar e automóvel como algumas das áreas fortes das duas regiões.

Quanto ao Ribatejo, Domingos Chambel expôs a centralidade desta região de Portugal, “com vários privilégios em termos de posição geográfica e em termos de mobilidade”. “Somos atravessados pelas quatro mais importantes autoestradas de Portugal e por três importantes linhas férreas”, concretizou.

Quanto ao tecido económico desta região, o Presidente da Direção da NERSANT afirmou que “produzimos um VAB de 6,8 mil milhões de euros”, e que “a nossa atividade é diversificada entre 48.000 empresas”. Para o apoio a esta atividade económica, Domingos Chambel listou, entre outra infraestruturas, os cinco parques de negócios sediados no Ribatejo e que estão “prontos para receber investimentos internacionais, em especial dos nossos parceiros da Eslováquia”. “Temos todas as condições para que os nossos parceiros eslovacos se interessem por Portugal. Estamos capacitados a receber os vossos investimentos e temos condições políticas e económicas para facilitar o investimento estrangeiro”, reforçou ainda o Domingos Chambel, acrescentando que “após esta crise pandémica, estamos de braços abertos a conhecer-vos presencialmente e a receber-vos na nossa região.”

A conferência online prosseguiu na voz de João Salvador, da NERSANT, que apresentou às empresas eslovacas presentes a região do Ribatejo, centrando-se nas suas mais-valias e oportunidades de negócio e nos incentivos ao investimento externo em vigor em Portugal.

Seguiu-se o painel sobre as relações comerciais entre a Eslováquia e Portugal, que contou com as intervenções de Old?ich Hlavá?ek e do Embaixador da Eslováquia em Lisboa, Fernando Teles Fazendeiro, Embaixador de Portugal em Bratislava. Old?ich Hlavá?ek, Embaixador da Eslováquia em Lisboa, elaborou uma caracterização histórica do relacionamento comercial entre a Eslováquia e Portugal, tendo referido que foi “a entrada da Eslováquia no espaço Schengen” que deu início a esta relação. Referiu ainda que, embora a crise de 2008 tenha abalado o relacionamento comercial entre os dois países, existe atualmente “uma tendência de crescimento”, alavancada, em muito, pelo setor automóvel. O Embaixador da Eslováquia em Lisboa referiu que em 2018 foi organizada uma missão empresarial eslovaca a Portugal e que, na sequência dessa visita, está preparado um protocolo de colaboração entre a SARIO e a sua homóloga em Portugal, a AICEP, cuja assinatura será muito importante.

Fernando Teles Fazendeiro, Embaixador de Portugal em Bratislava, agradeceu esta oportunidade de exponenciar negócios entre Eslováquia e Portugal, “numa altura em que as viagens estão condicionadas”. Referenciou, se seguida, como “muito interessantes as oportunidades que oferece a região do Ribatejo” e referiu ainda o aumento de interesse das empresas portuguesas no mercado da Eslováquia. “Para além do setor automóvel, cujas exportações para a Eslováquia têm tido um aumento muito interessante, ainda este ano contactaram a embaixada diversas empresas portuguesas do setor dos moldes, interessadas no plástico eslovaco, e também muitas empresas do setor agroalimentar”, revelou. “Há, após o período pandémico, espaço para que o relacionamento comercial e económico se desenvolva”, concluiu o Embaixador de Portugal em Bratislava.

No mesmo painel, intervieram ainda Ivana Belcáková, Adjunta do Embaixador, focando-se nas oportunidades de apoio para empresários da Embaixada Eslovaca em Lisboa e František Vizvary, Representante do Conselho da Economia Eslovaco-Português, da Câmara de Comércio e Indústria Eslovaca, e Presidente da Câmara de Cooperação Luso-Eslovaca, que referiu que embora a Eslováquia não seja um dos parceiros comerciais tradicionais de Portugal, tem trabalhado para que Portugal se torne visível neste mercado. “Portugal tem vindo a tornar-se mais próximo da Eslováquia”, mencionou. A conferência prosseguiu com um espaço dedicado às empresas participantes, que puderam colocar aos oradores as suas questões e dúvidas sobre o mercado.

De referir que o Roadshow Eslováquia / Portugal é uma ação organizada no âmbito do projeto “RIBATEJO BUSINESS INTELLIGENCE”, projeto financiado pelo ALENTEJO2020 e que tem como objetivos melhorar o reconhecimento da região no exterior e melhorar o posicionamento das empresas/entidades no mercado global, permitindo que estas iniciem exportações ou reforcem o seu potencial exportador, consolidando quotas de mercados ou diversificando os seus mercados. No total, participaram 55 empresas eslovacas.

Leave a Reply