Secretário de Estado da Educação: “não faz sentido a dicotomia ensino digital/presencial”

Em Educação

O secretário de Estado da Educação sublinhou a dimensão do trabalho que temos pela frente nos próximos tempos, em que aos desafios que já se colocavam à educação, se somam agora as consequências da pandemia. João Costa falava no encerramento do VI Encontro Regional de Educação, organizado pela FAPOESTEJO – Federação das Associações de Pais e Encarregados de Educação do Oeste, Médio Tejo e Lezíria do Tejo.

Veja aqui o painel sobre o tema “Ser Técnico Feliz ou Doutor Infeliz” e a Sessão de Encerramento com a presença do secretário de Estado da Educação João Costa:

O secretário de Estado desmentiu aqueles que dizem está tudo igual há um ano atrás no plano de transição digital: “Já foram entregues muitos equipamentos, foi realizado um esforço enorme no apoio formativo, com a elaboração e disponibilização de recursos educativos que somados aos do “Estudo em casa” somam mais de 3.000 recursos guiões e orientações disponibilizadas às comunidades educativas”.

Secretário de Estado da Educação João Costa

Para o secretário de Estado da Educação, “não faz sentido continuar o debate sobre a dicotomia ensino digital/presencial, porque isso não nos vai levar longe; Queremos o digital na Escola, mas dentro da escola, os computadores e as tecnologias não substituem o papel do Professor nem da Escola, que continuará a ser um dos principais instrumentos de sociabilização e de gestão das emoções das nossas crianças e jovens”. O secretário de Estado salientou a importância da dimensão colaborativa e cooperativa da educação, congregando os vários atores, com diferentes competências, que devem ser colocadas em comum e utilizadas em conjunto para enfrentarmos os desafios”.

Presidente da CIM Lezíria do Tejo Pedro Ribeiro

Igual entendimento tem o presidente da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo, Pedro Ribeiro, que também participou neste Encontro Regional de Educação. “Parceria, cooperação e capacidade de adaptação” são as questões chave para Pedro Ribeiro. Referiu o exemplo das escolas que, perante o desafio da pandemia, foram capazes de se adaptar, e mudaram tudo num único fim de semana, contando com o apoio das autarquias e da administração central. “Agora era importante que nesta fase da pandemia, cada um dos 10 milhões de portugueses assuma a sua responsabilidade não permita que venhamos a ter de mudar tudo numa terceira vez…”

“Somos um país com muitas capelas e capelinhas, com muitos protagonismos locais, regionais e nacionais, mas o que precisamos é de parcerias, de mais cooperação, de forma a que cada um de nós possa fazer o seu melhor comas competências que tem ao seu nível de intervenção, seja local, regional ou nacional”. Apontou como exemplo a Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo em que os 11 municípios, de diferentes partidos políticos, foram capazes de por de lado as diferenças e tem estado sempre unidos nas posições tomadas e nos projetos em concretização. Considera também a FAPOESTEJO um exemplo pela forma como está a unir as associações de pais das três comunidades intermunicipais – Oeste, Médio Tejo e Lezíria – , elas próprias também já a trabalhar como uma única região, através de um instrumento territorial integrado para a gestão dos fundos comunitários. “Faz todo o sentido termos também a FAPOESTEJO a trabalhar como parceiro nos projetos na área da educação”, afirma o também presidente da Câmara de Almeirim.

Ao longo de todo o dia de sábado, este encontro permitiu debater temas como “Inclusão, Autonomia e Flexibilidade na Educação”, “O Papel da Família: Segurar ou Amparar” e “Ser Técnico Feliz ou Doutor Infeliz”, com vários especialistas ligados à educação, integrando um momento de reflexão, sobre os desafios mais atuais, e o impacto desta pandemia, na vida escolar e no futuro das Crianças e Jovens do nosso país.

Assista aqui aos painéis sobre “Inclusão, Autonomia e Flexibilidade na Educação” e “O Papel da Família: Segurar ou Amparar”:

Do painel de oradores fizeram parte Nádia Ferreira (Direção-Geral da Educação), Sílvia Cópio (Presidente do Movimento Educação Livre), António Costa (Presidente da Associação Calm Mind), autarcas, diretores de agrupamentos de escolas, representantes das Associações de Pais, especialistas, docentes e alunos. Na mesa estarão temas como, as políticas educativas, o suporte familiar e a felicidade laboral.

“A abordagem destas temáticas, vai ao encontro da missão desta Federação, sempre focada na defesa, do superior interesse das Crianças e Jovens”, afirma o presidente da FAPOESTEJO Rui Pires, acrescentando que “com a realização deste Encontro pretendemos unir, partilhar ideias, ajudar o Movimento Associativo Parental (MAP) a crescer.

Entrevista ao Mais Ribatejo de Rui Pedro Pires, presidente da FAPOESTEJO

“Em conjunto com Escolas e as suas Direções, Associações de Pais e Encarregados de Educação, e Autarquias, procuraremos apresentar soluções conjuntas, criar projetos de desenvolvimento de capacitação parental, tendo como objetivo último, a melhoria contínua da qualidade do ensino e da aprendizagem”, salienta Rui Pedro Pires.

1 Comment

Leave a Reply

Recentes de Educação

Ir para Início
%d bloggers like this: