GNR de Santarém alerta para aumento de burlas com MB Way e dá conselhos sobre compras na net

Em Sociedade

O Comando Territorial da GNR de Santarém reportou ao Mais Ribatejo que só este ano (até final de fevereiro) já tinham sido recebidas 18 denúncias por burlas com MB Way, no distrito de Santarém. Neste artigo, a GNR alerta para um conjunto de cuidados a ter nas transações com o MB Way e com outras plataformas de comércio eletrónico.

Em 2020, a GNR recebeu 121 denúncias de burlas com MB Way no distrito, o que representou um aumento exponencial em relação a 2019 ano em que se registaram 31 denúncias. De resto segundo a GNR, também as burlas com as plataformas de comércio eletrónico estão a registar grande aumentos. Em 2020 a GNR recebeu 177 denúncias de burlas, quando em 2019 recebeu 70 queixas. Uma tendência que parece estar a manter-se em 2021, tendo a GNR recebido 28 denúncias de burlas com as plataformas de comércio eletrónico até fevereiro deste ano no distrito de Santarém.

Atento a este problema, o Comando territorial da GNR de Santarém tem realizado ações de sensibilização sobre a temática das burlas, em especial as informáticas, para prevenir este tipo de criminalidade, através das Secções de Policiamento Comunitário (SPC).

Segundo a GNR, as burlas que ocorrem com mais frequência são as relacionadas com a forma de pagamento, incidindo, sobretudo, em negócios online para compra e venda de objetos e em sites de artigos usados. Os burlões utilizam o desconhecimento das vítimas que, ou não têm o serviço ativo, ou tendo-o, não sabem utilizar devidamente a aplicação.

Das ocorrências registadas, a GNR apurou que, por norma, o suspeito contacta a vítima, mostrando-se interessado em comprar determinado produto que está à venda online (ex: redes sociais, plataformas de venda online) e refere que pretende efetuar o respetivo pagamento através da plataforma MB WAY, alegando ser uma forma mais fácil e eficaz.

A burla pode processar-se das seguintes formas:

  • Percebendo que os lesados desconhecem o funcionamento da aplicação, o suspeito convence-os a deslocarem-se a uma Caixa Multibanco (ATM). Seguindo as indicações do suspeito, as vítimas acabam por associar o número de telemóvel do suspeito aos dados da sua aplicação, sendo informadas que o dinheiro ficará disponível com brevidade. A partir desse momento, o suspeito fica com o controlo total de acesso à conta bancária da vítima, através da aplicação;
  • Numa outra possibilidade, depois de conseguir que a vítima aceite receber o valor por MB WAY, o burlão seleciona, na sua aplicação, a opção “Pedir dinheiro”, em vez de selecionar a opção “Enviar dinheiro”. A vítima, desconhecendo em pormenor o funcionamento da aplicação e encontrando-se a aguardar o envio do dinheiro, é informada pelo suspeito de que já fez a transferência e que é só aceitar. Ao selecionar a opção de aceitar, a vítima acaba por ser burlada.

As vítimas são escolhidas de forma aleatória, recaindo a escolha nos indivíduos que possuem artigos à venda nas redes sociais e em plataformas de vendas online.

Atenta a este flagelo, a Guarda Nacional Republicana reforça os seus conselhos  aos cidadãos, numa situação de compra e venda, a estar particularmente atentos às opções que vão adotar, nomeadamente:

  • Não aceite métodos de pagamento que desconhece nem siga instruções de estranhos.
  • Informe-se primeiro sobre qualquer serviço novo de pagamento junto do seu banco.
  • Nunca adicione/associe um número de telemóvel que não seja o seu ou que desconhece a serviços bancários.
  • Não forneça dados confidenciais ou pessoais via correio eletrónico ou SMS;
  • Não siga ligações recebidas via correio eletrónico ou SMS;
  • Verifique o extrato da sua conta bancária com regularidade;
  • Se tiver sido alvo de burla, contacte de imediato o seu banco, por forma a bloquear o cartão virtual e cancelar os respetivos códigos e assim evitar de lhe seja subtraído mais dinheiro da sua conta
  • Recolha o máximo de dados possíveis acerca das transações suspeitas e apresente queixa-crime em qualquer Posto Policial.

Para compras na internet de forma segura, a GNR aconselha:

  • Comprove que a loja online é segura, procure informações sobre a mesma na Internet, nomeadamente se dispõe de endereço físico, número de telefone, email e fax;
  • Assegure-se que na página web aparece identificado o responsável da loja online e a sua localização;
  • Desconfie sempre das ofertas demasiado atrativas, promoções imperdíveis e valores muito abaixo do mercado;
  • Certifique-se que o site adota medidas de segurança para garantir a privacidade dos seus dados;
  • Após a compra fique atento ao seu extrato bancário;
  • Tenha um antivírus atualizado no seu computador;
  • Faça compras em páginas seguras. Para efetuar esta verificação, confirme que o endereço começa por “https://”.

Leave a Reply