O teste rápido à covid-19 deu positivo/negativo – O que fazer

Em Saúde

Os portugueses já podem comprar os autotestes de deteção do coronavírus SARS-CoV-2 em farmácias e outros locais de venda de medicamentos não sujeitos a receita médica, como parafarmácias. Confira aqui os procedimentos que deve cumprir após fazer o autoteste.

A Direção-Geral de Saúde (DGS) e o Infarmed consideram que o autoteste constitui um instrumento adicional para a deteção precoce dos casos de infeção, contribuindo assim para o controlo das cadeias de transmissão.

Segundo a DGS, os resultados obtidos nos autotestes SARS-CoV-2 devem ser reportados às Autoridades de Saúde, de acordo com o seguinte procedimento:

  • Os indivíduos sintomáticos ou contactos com caso confirmado devem contactar o Centro de Contacto SNS24 (808 24 24 24) independentemente do resultado do teste.
  • No contexto da utilização por iniciativa própria dos autotestes SARS-CoV-2, um resultado
  • positivo ou inconclusivo deve ser comunicado diretamente por contacto telefónico ao
  • Centro de Contacto SNS24 (808 24 24 24) ou através do preenchimento de formulário eletrónico a ser criado oportunamente para o efeito na página web covid19.min-saude.pt;
  • No âmbito da utilização em contextos específicos, a comunicação desse resultado pode ser efetuada, alternativamente, ao médico assistente ou de saúde ocupacional/medicina do trabalho;
  • Independentemente do contexto em que seja efetuado o teste, o reporte de obtenção de um resultado positivo deve ser acompanhado sempre que possível de informação relativa à identificação comercial do autoteste (marca), fabricante e código identificativo do lote do teste utilizado.
  • O reporte indicado nos pontos anteriores desencadeia a emissão de prescrição para teste confirmatório com teste de amplificação de ácido nucleico (RT-PCR), caso não tenha havido para o utente/indivíduo em questão uma notificação laboratorial de teste com resultado positivo nos últimos 90 dias.
  • O Centro de Contacto SNS24 deve transmitir indicações para o isolamento do individuo com resultado positivo (incluindo a emissão de DPIP – Declaração Provisória de Isolamento Profilático) até ao conhecimento do resultado do teste confirmatório.
  • O mesmo Centro de Contacto deverá proceder à adição do utente/suspeito no Trace COVID-19 (TC-19), com indicação de que se trata de autoteste (tab SNS24), e alteração dos estados para “Suspeito”, “Vigilância Sobreativa” e “Aguarda Exame”.
  • O resultado do teste confirmatório determina as seguintes ações:
  • Teste confirmatório positivo – desencadeia notificação laboratorial no SINAVELAB pela entidade que realizou o teste confirmatório; esta deve ser complementada com notificação clínica e tratada em conformidade. O resultado positivo do SINAVELAB é integrado no TC19, com alteração do Estado Pessoa para “Infetado (achado laboratorial)” com Exame “Positivo”;
  • Teste confirmatório negativo – notificação laboratorial pela entidade que realiza o teste. O resultado negativo do SINAVELAB é integrado no TC-19, com alteração do Estado Pessoa para “Suscetível” com Exame “Negativo” e “Sem vigilância”.
  • Os resultados Negativos deverão ser comunicados em formulário eletrónico a disponibilizar oportunamente. A notificação destes resultados é igualmente importante para monitorização da atividade nacional de testagem.
  • No sentido de permitir a monitorização da dispensa de TRAg para utilização como autoteste SARS-CoV-2, será solicitado um reporte regular, ao INFARMED, I.P., em termos a indicar oportunamente: Às entidades autorizadas a dispensar ao público, sobre o número de testes dispensados; Aos distribuidores por grosso, sobre o número de testes distribuídos.

1 Comment

Leave a Reply