Dois terços da fatura de eletricidade são tarifas e impostos

Em Empresas

A Comparamais, especialista na comparação de preços de energia, analisou as faturas de eletricidade e concluiu
que 2⁄3 são tarifas e impostos. As tarifas de acesso às redes (que pagam o envio da energia até casa e a
manutenção da potência) são o maior encargo, mas também o IVA e a Contribuição Audiovisual têm impacto
relevante nos custos, a que se juntam o Imposto Especial do Consumo (IEC) do ISP e também a taxa DGEG.
Para esta conclusão, a Comparamais analisou uma fatura com os preços EDP Comercial, para um consumo
mensal de 400 kWh numa potência contratada de 6,9 kVA (valores ERSE para um casal com dois filhos).


Tarifas de Acesso às redes são o maior custo na fatura

O maior peso na fatura fica a cargo das tarifas de acesso. Esta taxa, paga por todos os clientes do mercado livre e
regulado, representa quase metade do valor total e incide tanto sobre a potência contratada como no custo unitário
(kWh) da energia consumida.Para uma família de quatro pessoas (dois adultos e duas crianças) as tarifas de
acesso significam 75% do custo total da potência e 50% do valor pago pela eletricidade.


Medidas recentes de apoio com impacto reduzido

A redução do IVA para 13% nos primeiros 100 kWh consumidos mensalmente foi uma das mais recentes medidasde apoio no sector. Mas, ao ser aplicado aos primeiros 100 kWh, a redução acaba por ser mínima e com impacto
quase irrelevante para a maioria dos portugueses. No caso apresentado, a redução do IVA permite poupar
apenas 1€ numa fatura total de 94€. Ou seja, uma redução anual de 12€.


Descida de 10% na eletricidade com impacto mínimo

Fica também claro que a margem para baixar preços é reduzida, porque o preço efetivo da energia e os seus
proveitos representam apenas 36% da fatura. Por isso, uma redução de 10% no preço da energia e margem de
lucro das empresas significaria, neste caso, apenas uma descida de 3,77€ no valor a pagar (3,13€ da redução
direta do preço da eletricidade e 0,64€ através do IVA). Ou seja, baixar o preço da eletricidade 10% apenas reduz o
custo total da fatura em 4%.


Simular os preços é a melhor opção para os portugueses pouparem

Como as taxas e impostos são 64% do valor pago na fatura, a melhor forma dos portugueses pouparem é através
de preços mais baixos para os restantes 36% da conta. E isso pode ser alcançado ao comparar as tarifas no
simulador de preços de eletricidade, já que as diferenças entre empresas são significativas. Segundo outro inquérito
recente da Comparamais, em 2020 os utilizadores do simulador de luz e gás pouparam, em média, 200€/ano.

O diretor de Energia da Comparamais, Rui Mota, considera que “é assombroso pensar que ⅔ da fatura de eletricidade são taxas e impostos. Mas, mesmo com estes custos fixos a representarem 64% do total, é possível poupar mais de 200€ com a mudança de fornecedor ao usar o simulador de luz e gás da Comparamais, que faz uma comparação personalizada dos preços para cada família. E assim, mesmo sem poder mexer nos custos fixos das taxas e impostos, é possível reduzir os gastos mensais com eletricidade”.
Poderá encontrar mais informações sobre esta investigação da Comparamais neste link.


Leave a Reply