CNEMA recebe concursos nacionais em abril e maio

Em Empresas

O Centro Nacional de Exposições, em Santarém, vai ser palco de vários Concursos de Produtos Tradicionais Portugueses, como sempre associados à Feira Nacional de Agricultura / Feira do Ribatejo e ao Salão Prazer de Provar. As datas para a realização das sessões de prova já estão marcadas para abril e maio.

Estas iniciativas têm como parceiros a QUALIFICA / oriGIn Portugal, o CEPAAL – Centro de Estudos e Promoção do Azeite do Alentejo (Concurso Nacional de Azeites de Portugal) e a Viniportugal (Concurso Vinhos de Portugal 2021).

O objetivo principal dos Concursos de Produtos Tradicionais Portugueses é premiar, promover, valorizar e divulgar os produtos tradicionais, genuínos e produzidos em Portugal.

De acordo com Vasco Gracias, diretor executivo do CNEMA, “o Centro Nacional de Exposições, como espaço multifacetado e que permite a realização das mais variadas atividades, apoia todas as iniciativas que destaquem o que de melhor se produz em Portugal.

“É com muito orgulho que nos associamos a entidades de referência na área agro-alimentar para promover os Concursos Nacionais que são uma forma reconhecer a qualidade de cada produto,.” afirma Vasco Gracias.

O diretor executivo do CNEMA reforça que “os premiados que obtenham a classificação “Melhor dos Melhores” podem beneficiar de um stand tipo, gratuito, no Salão Prazer de Provar 2021 durante a Feira Nacional de Agricultura. Já os premiados consigam Medalhas de Ouro, Prata e Bronze podem beneficiar de uma redução, respetivamente, de 30%, de 20% e de 10% no custo do stand.”

Este responsável afirma que “o impacto económico e as vendas são aspetos que não se podem descurar e estas ações visam acrescentar valor comercial e valorizar o produto para benefício dos produtores”, conclui.

Ana Soeiro responsável da Associação Qualifica – Origin Portugal acredita que “este tipo de competições são uma forma de reconhecer a qualidade dos produtos tradicionais e valorizar o trabalho e a experiência dos seus produtores.”

“Nos concursos que organizamos, por norma, não é admissível o uso de aditivos e auxiliares tecnológicos em nenhum produto que se candidate a concurso, exceto quando especificamente previsto. É uma forma de reconhecermos a qualidade de cada produto, o saber fazer, a tradicionalidade e a origem,” diz Ana Soeiro.

“Todos os anos aparecem novos concorrentes, produtos, formas de apresentação e também alguma inovação sem perda do carácter tradicional e da tipicidade dos produtos”, conclui.

Os interessados podem consultar o calendário das provas em www.cnema.pt e www.concursosnacionais.pt e aceder a todas as informações como Regulamento, Critérios de Qualificação de Produtos Tradicionais, Data Limite de Inscrição, Envio de Amostras, entre outras.

Leave a Reply