Pedro Sequeira, docente do IPSantarém, é o presidente da Comissão de Métodos da Federação Europeia de Andebol

Em Educação

Pedro Sequeira, professor coordenador da Escola Superior de Desporto de Rio Maior, do IPSantarém e vice-presidente da Federação de Andebol de Portugal, tomou posse no dia 23 de abril, como presidente da Comissão de Métodos da Federação Europeia de Andebol, em Viena, onde teve lugar o 15.º Congresso da EHF. Pedro Sequeira representará Portugal no Comité Executivo do organismo pela primeira vez, num mandato de 4 anos, após 8 anos como representante de Portugal na organização.
Em declarações prestadas ao GICOM do IPSantarém, Pedro Sequeira disse: “Sinto-me muito honrado com esta eleição. O extraordinário trabalho que tem sido feito no Andebol ao nível dos praticantes, treinadores, dirigentes, árbitros, clubes, seleções nacionais, associações regionais e federação possibilita que olhem para nós com outros olhos. Isso ajuda a conseguirmos atingir estes cargos.”
E vê este mandato de 4 anos como um grande desafio profissional: “Vai ser um mandato com enormes desafios. No imediato, preparar um conjunto de ações que permitam que o andebol retome na sua máxima força após covid-19. O andebol pretende nos próximos anos tornar-se na modalidade mais popular e mais praticada ao nível dos desportos coletivos de pavilhão. Para isso acontecer, ao nível da minha comissão teremos de aperfeiçoar a formação dos diferentes agentes desportivos, potenciar o andebol a nível escolar e do ensino superior, e inovar do ponto de vista tecnológico para tornar a modalidade ainda mais atrativa e com forte ligação aos adeptos.”
Portugal fica ainda representado por Leonor Mallozzi, reeleita para a Comissão Feminina das Nações e por Mário Bernardes coordenador do andebol de praia nacional, eleito para a comissão da vertente, para ficar responsável pelo dossier de desenvolvimento e promoção.

Com o “Futuro do Andebol Europeu” como tema do Congresso EHF, a cerimónia decorreu com eleições no primeiro dia, enquanto no dia 24 se tomaram decisões sobre várias moções e a entrega de prémios EHF, entre outros, as nações de topo no andebol de praia e indoor europeu, de 2018 a 2020.

Devido à crise sanitária que atravessamos a cerimónia decorreu em formato híbrido, com a presença física de delegados de 40 federações membros da EHF, e cumprindo todas as normas estabelecidos pelas autoridades sanitárias austríacas, os restantes presentes assistiram remotamente, sendo este Congresso o primeiro deste género a realizar um evento desta natureza.

Leave a Reply