Doença mental: Hospital de Santarém mobiliza a arte como ferramenta terapêutica

Em Saúde

“A dinamização de projetos de reabilitação psicossocial de pessoas com doença mental, mobilizando a arte como ferramenta terapêutica, é um contributo importante para estreitar as margens de um rio tenebroso que corre bem perto de nós e que nem sempre é compreendido: o estigma social associado à doença mental.” A afirmação é de Ana Infante, presidente do Conselho de Administração do Hospital Distrital de Santarém (HDS).

Ana Infante falava na inauguração da OficINa – Arte Bruta Inclusiva, novo espaço instalado no Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do HDS, que tem como objetivo dar respostas de inclusão socioprofissional e a desmistificação da barreira do estigma associado à doença mental.

“Em época pós-covid, a doença mental e os traumas associados ao prolongar da pandemia irão merecer de todos nós uma profunda reflexão quanto ao que realmente importa fazer”, acrescentou Ana Infante.

Carla Ferreira, enfermeira do Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental, lembrou que este projeto dá continuidade ao trabalho iniciado no EM 2016 no âmbito do projeto  INcluir, criado pela Associação r.INseRIR, que envolve profissionais do Serviço de Psiquiatria do HDS,  com oficinas artísticas que funcionaram no Convento de S. Francisco e em vários locais públicos da cidade de Santarém, envolvendo utentes do hospital de dia do Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do HDS e membros da comunidade.

A enfermeira sublinhou que a OficINa “pretende ser um espaço de arte bruta inclusiva, de total liberdade de expressão artística sem tabus que possa ser partilhado pelos nossos artistas (os utentes) e também por artistas céleres”.

De acordo com Carla Ferreira, a nova oficina “é um espaço de criação artística que não pretende ser só arte plástica, pode ser costura, arraiolos, oficina de reciclagem de móveis, entre outras”.

Paula Pinheiro, diretora do Serviço de Psiquiatria, disse que “este tipo de iniciativa é um combate ao estigma e uma verdadeira ajuda para acompanhar os nossos utentes”. “Ao ajudarmos estas pessoas a serem mais felizes nós também somos mais felizes”, frisou.

Paula Pinheiro lembrou que o projeto “OficINa”, contou com o apoio financeiro do Programa de Responsabilidade Social – Fidelidade Comunidade no valor de 47.500 euros, que permitiu a construção de um novo edifício contíguo ao Serviço de Psiquiatria do HDS, assim como do Prémio BPI “la Caixa” Capacitar, no valor de 28.670 euros, que vai possibilizar a dinamização de projetos de reabilitação psicossocial.

A cerimónia de inauguração contou com as intervenções de Tina Sequeira e Lourdes Mileu, em representação do BPI; de Fernanda Pereira, em representação da Fidelidade; de Ricardo Gonçalves, presidente da Câmara Municipal de Santarém; e da decoradora Ana Carvalho, que tem dado apoio ao projeto.

Leave a Reply