Marcelo Rebelo de Sousa agradece visita inesquecível à Guiné-Bissau

Em Mundo

O Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, agradeceu hoje a “visita inesquecível” à Guiné-Bissau e disse que vão ser concretizados neste “novo ciclo” muitos dos “objetivos”, “sonhos” e das “aspirações legítimas de cooperação” entre os dois países.

“Inesquecível por vir 31 anos depois da última vinda de um Presidente português, inesquecível pelo calor do povo guineense, inesquecível pelo acolhimento da parte de todas as autoridades, começando pelo senhor Presidente da República, continuando na Assembleia Nacional Popular e culminando no senhor primeiro-ministro, e incluindo também os partidos políticos e vários setores da sociedade civil”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente português falava no final de um encontro com o primeiro-ministro guineense, Nuno Gomes Nabiam, no Palácio do Governo, em Bissau, que encerrou a sua visita oficial à Guiné-Bissau.

Nas declarações aos jornalistas, Marcelo Rebelo de Sousa agradeceu a Nuno Gomes Nabiam o “retrato que deu da situação económica, social e política guineense num tempo de estabilização, superação de ultrapassagem da pandemia e de desenvolvimento económico e social sustentado no futuro, isto é duradouro e a pensar nas gerações mais jovens”.

“Nós iremos concretizar neste novo ciclo que se inicia com esta visita muitos dos objetivos, dos sonhos, das aspirações legítimas de cooperação entre os dois Estados e os dois povos”, disse Marcelo Rebelo de Sousa, acrescentando que o primeiro-ministro António Costa virá o “mais rapidamente possível” à Guiné-Bissau.

Marcelo Rebelo de Sousa disse também que ter a certeza que a “cooperação entre Estados, entre responsáveis políticos, será no futuro muito mais ambiciosa, muito mais frutuosa e muito mais promissora do que foi no passado ou é no presente”.

O encontro com o primeiro-ministro guineense foi o último ponto do programa desta visita oficial de cerca de 24 horas à Guiné-Bissau.

No trajeto entre a Livraria Coimbra e o Palácio do Governo, Marcelo Rebelo de Sousa voltou a encontrar uma multidão concentrada nos dois lados da estrada para o saudar, e empoleirou-se uma vez mais na porta da viatura para acenar às pessoas.

O secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Francisco André, acompanhou o Presidente português em todos os pontos da agenda.

O chefe de Estado deixou a Guiné-Bissau de regresso a Portugal num avião da Força Aérea Portuguesa perto das 21:00 locais (22:00 em Lisboa).

Marcelo deixa mensagem sobre aprofundamento da democracia e direitos humanos

O Presidente português divulgou hoje uma mensagem após encontrar-se em Bissau com os líderes dos partidos guineenses PAIGC, Madem-G15 e PRS, afirmando ter “sublinhado a relevância do aprofundamento da democracia” e “respeito pelos direitos humanos”.

Marcelo Rebelo de Sousa recebeu os líderes do Movimento para a Alternância Democrática (Madem-G15), Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) e Partido da Renovação Social (PRS) hoje à tarde, na residência do embaixador de Portugal em Bissau. Estas reuniões não constavam do programa da sua visita oficial à Guiné-Bissau.

Numa nota divulgada no sítio oficial da Presidência da República na Internet, destaca-se que o chefe de Estado se reuniu com o líder do PAIGC, Domingos Simões Pereira, “tendo salientado a importância da relação fraterna e amiga dos dois países e dos dois povos, que vai bem além da conjuntura de cada momento e perdura para além das contingências do dia a dia”.

Segundo a nota da Presidência da República, nessa ocasião Marcelo Rebelo de Sousa também sublinhou “a relevância do aprofundamento da democracia, respeito pelos direitos humanos, liberdades fundamentais e do Estado de direito, no quadro do desenvolvimento social e económico em benefício do bem estar das populações”.

“O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa recebeu, imediatamente antes, separadamente, delegações do Madem-G15 e do PRS, dois partidos políticos que suportam o atual Governo guineense, com quem discutiu igualmente as relações bilaterais e outros assuntos de interesse mútuo”, lê-se na mesma nota.

Marcelo Rebelo de Sousa nunca tinha estado na Guiné-Bissau como Presidente da República. Chegou na segunda-feira à noite para uma visita oficial que termina hoje ao fim do dia – a primeira de um chefe de Estado desde 1989.

Leave a Reply