Sabia que já está no mercado livre de energia? Veja o que isso significa…

Em Empresas

O mercado livre de energia em Portugal nasceu no ano de 2006, e significou que deixaram de existir preços fixos e estabelecidos por uma entidade estatal para a eletricidade e gás. Com um contínuo crescimento, o mercado livre de energia já engloba 95% dos clientes domésticos, segundo indica a ERSE nos dados mais recentes.

Agora o Mais Ribatejo, em parceria a Comparamais, explicam-lhe como funciona este mercado e as vantagens que ele traz para os consumidores.

Como funciona o mercado livre?

O mercado livre significa que cada empresa tem liberdade para definir os seus preços. Como tal, há várias oscilações nos custos entre fornecedores, bem como na estratégia de descontos e outras campanhas para angariar clientes.

Além da liberdade para definir preços, o mercado livre é também caracterizado pela mudança de fornecedor sem custos. Ou seja, se decidir mudar de empresa, o cliente não pagará nada.

Outro elemento que caracteriza o mercado livre é que, embora existam vários comercializadores, a distribuição (encaminhamento da energia desde os centros de produção até casa dos clientes) continua toda a cargo de uma empresa, a e-Redes. Este é o novo nome adotado (já em 2021) pela anterior EDP Distribuição. Esta empresa trata também da instalação da eletricidade e resolução de avarias.

Quais as vantagens do mercado livre?

Existem vários benefícios no mercado livre de energia, onde se destacam:

  • Tarifas mais reduzidas que no mercado regulado (SU Universal, antiga EDP Universal)
  • Preços mais baixos, devido à concorrência entre empresas;
  • Contratos sem fidelização, pelo que não há compensações quando decide mudar de empresa;
  • Pode ter apenas uma fatura com os serviços de luz e gás, simplificando o pagamento;
  • Campanhas de adesão diversas, com os clientes a poderem escolher descontos, ofertas de vouchers de adesão, descontos em cartão de supermercado e outras vantagens;
  • Mudança de comercializador sem custos, com o cliente a poder mudar de empresa tantas vezes por ano quanto desejar;
  • Processo de mudança automático, sem qualquer intervenção em casa do cliente ou corte de luz;
  • Serviços centralizados de Distribuição, com a E-Redes a ser responsável pela instalação e resolução de avarias de todos os clientes, independentemente do seu fornecedor

Adesão termina em 2025

Depois de um prazo inicial que terminava em 2020, foi alargado o período para todos os clientes aderirem ao mercado livre de energia. Com a extensão, até final de 2025 ficará completa a transição e todos os clientes vão estar no mercado liberalizado.

Embora já represente 95% dos clientes, no mercado livre continua a existir uma grande concentração em apenas uma empresa. De momento a EDP Comercial continua a ter cerca de 70% dos clientes, embora com uma queda contínua da sua quota de mercado.

Que empresas estão no mercado livre de energia?

Existem mais de 20 empresas a atuar no mercado liberalizado de eletricidade. As mais conhecidas são:

EDP ComercialEndesaIberdrola
Galp EnergiaGoldenergyYLCE
MuonEnergia SimplesMEO Energia

No entanto, quem procure um contrato único de eletricidade e gás terá um leque de escolha mais reduzido. As empresas do mercado livre que comercializam eletricidade e gás são a EDP Comercial, Endesa, Goldenergy, Iberdrola e Galp Energia.

É possível poupar com o mercado livre?

Como os preços das empresas vão mudando, a Comparamais afirma que existem oportunidades de poupança no mercado livre. E explica que os clientes devem ter em conta o preço €/kWh cobrado pelos consumos e o custo diário da potência contratada. Concluindo, é ainda explicado que, graças às regras de funcionamento do mercado livre, os consumidores podem mudar de empresa sem qualquer custo, pelo que há várias oportunidades para poupar com o mercado livre de energia.

Leave a Reply