Criptomoedas: guia para se tornar num expert

Em Empresas

Ouvimos muito falar no tema, mas, na verdade, nem sempre o compreendemos. Por isso, este artigo vai-lhe explicar-lhe o que são as criptomoedas, como funcionam e quais os riscos associados a esta forma de pagamento e/ou investimento. Com esta informação ficará mais capacitado para compreender qual a melhor criptomoeda para investir.
Assim sendo, as criptomoedas são um tipo de dinheiro – tal como acontece com o Euro ou o Dólar, por exemplo, mas com as particularidades de serem totalmente digitais, não serem emitidas por nenhum Governo nem geridas por bancos.
Elas surgiram pelo notório desenvolvimento do mundo digital, de tudo o que lá acontece e pelo impacto que o online tem na nossa vida atualmente. Aliás, o facto de hoje em dia podermos pagar praticamente tudo através do telemóvel é um bom exemplo de como os pagamentos facilmente se adaptaram a uma realidade digital. De tal forma que, para muitos, as criptomoedas são a moeda do futuro.
A tecnologia por trás destes ativos digitais é o Blockchain, que se refere a um sistema de registo virtual de movimentação de dinheiro e dados, que faz com que as transações não possam ser manipuladas ou modificadas após o registo. Por este motivo, os defensores da tecnologia alegam que este é um sistema muito seguro.

Para que servem as criptomoedas?

Na verdade, podem ser usadas exatamente como uma moeda convencional, desde que a entidade vendedora a aceite e o comprador possua este tipo de dinheiro.
Além das trocas comercias, as criptomoeadas podem servir como forma de poupança, numa perspetiva de preservação de valor para o futuro.

Como funciona a variação de preço?

Neste campo, a realidade não é muito diferente do que se passa com o mercado de bolsas que tão bem conhecemos e que nos é mais familiar. Isto é, o preço das moedas digitais varia de acordo com a velha lei da oferta / procura.
Quando estão mais no centro das atenções e são mais procuradas, então, valem mais; se forem menos procuradas, valem, naturalmente menos.

Aspetos a ter em conta no mundo das criptomoedas

Se lhe parece um assunto interessante, há que ter em conta que nem tudo são rosas e há alguns riscos a considerar.
Pode investir na compra de moedas digitais mais conhecidas, como é o caso da famosa Bitcoin, mas também de outras menos populares, mas que não são necessariamente menos valiosas. Falamos, por exemplo, da Ethereum, Litecoin ou Tron. Pesquise sobre cada uma, fique atento ao valor diário e siga a sua intuição. Mas tenha os devidos cuidados. Tome nota.

1. Segurança

Apesar de serem consideradas seguras, as criptomoedas não são à prova de crime. Podem estar protegidas por altos níveis de rastreabilidade, porém há sempre alguém que consegue infiltrar-se online, pelo que se aconselha o seu armazenamento offline e protegidas com protocolos rigorosos de armazenamento.

2. Volatilidade

Tal como referimos, o facto de uma moeda digital valer muito hoje, tal não significa que valerá também muito amanhã. É preciso que tenha bem consciência desta instabilidade, algo que acaba por ser muito comum para quem já lida com investimentos.

3. Custos

Apesar de existir apenas no mundo virtual, também há custos a considerar e que dizem respeito à respetiva aquisição, bem como ao elevado consumo de energia necessário pela atividade computacional envolvida nos processos associados a esta tecnologia.
Isto levou a que se disponibilizassem descontos na fatura da eletricidade, como acontece com algumas cidades do Canadá, por exemplo.

1 Comment

Leave a Reply