Candidato do PS Manuel Afonso compromete-se a tirar Santarém do “marasmo”

Em Autárquicas 2021

O candidato do PS à Câmara de Santarém nas eleições autárquicas deste ano, Manuel Afonso, comprometeu-se hoje em “acabar com o marasmo” e “transformar Santarém numa cidade moderna e dinâmica”, devolvendo-lhe o estatuto de capital de distrito.

Manuel Afonso falava na apresentação dos membros que vão integrar a lista socialista candidata à câmara, numa sessão que decorreu no Teatro Sá da Bandeira, numa plateia muito reduzida, e que contou com a presença de Alexandra Leitão, ministra da Modernização Administrativa, em representação da direção nacional, bem como do líder da distrital, Hugo Costa, e da dirigente das mulheres socialistas da federação, Mara Lagriminha.

A concelhia socialista foi a primeira a anunciar os seus primeiros candidatos à câmara e à assembleia municipal (o atual presidente deste órgão, Joaquim Neto), em dezembro passado, tendo Manuel Afonso afirmado hoje que o programa tem vindo a ser discutido com os restantes oito elementos da sua equipa num processo que tem envolvido a “comunidade escalabitana”.

Segundo afirmou, a candidatura compromete-se com um “contrato social”, que contém 15 objetivos estratégicos, e com a realização de um congresso seis meses após a eleição, para ouvir os cidadãos, as empresas e as instituições, na prossecução de uma cultura de diálogo permanente e de partilha das decisões com as populações.

Entre as muitas críticas aos 16 anos de gestão social-democrata, Manuel Afonso lamentou uma postura de “muitos sorrisos” no concelho, “em dias pares”, e de “insultos em Lisboa, em dias ímpares”, com várias referências à forma como o presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves (PSD), aborda problemas do concelho com o Governo.

Para Manuel Afonso, não é só na comparação com outras capitais de distrito que Santarém sai a perder, mas também com concelhos vizinhos de menor dimensão, dando o exemplo de Almeirim, gerido pelo socialista Pedro Ribeiro, “que conquistou a Mercadona” e várias infraestruturas do Serviço Nacional de Proteção Civil e que se disponibilizou para receber a delegação da ASAE.

“Mais um serviço que sairá de Santarém por incúria, desleixo, insensibilidade e visão obtusa do promotor destes 16 anos de sono”, declarou.

Manuel Afonso reivindicou para si o desbloquear da verba de 3 milhões de euros para intervenção nas encostas da cidade, por iniciativas desenvolvidas em dezembro de 2019 junto do ministro das Infraestruturas enquanto deputado à Assembleia da República.

Na sua intervenção, Alexandra Leitão, que referiu o seu orgulho em ter sido eleita para a Assembleia da República como cabeça de lista por Santarém, apontou o “grande pluralismo” da equipa que acompanha Manuel Afonso e declarou a sua convicção de que Santarém irá regressar a uma liderança socialista.

Nuno Russo e Salomé Rafael na lista de candidatos

Manuel Afonso apresenta como seu número dois Nuno Russo, ex-secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, e como número três Salomé Rafael, ex-presidente da Associação Empresarial da Região de Santarém.

A lista integra ainda Nuno Domingos, especialista em programação cultural, Sofia Martinho, advogada e atual vereadora na Câmara de Santarém, Liliana Ramos, auditora, Filipe Marques, especialista em desenvolvimento local e regional, Maria do Rosário Antas, formadora, e Miguel Almeida, profissional de seguros.

O Partido Socialista liderou a autarquia escalabitana entre 1977 e 2005, ano em que perdeu a eleição para Francisco Moita Flores, candidato pelo PSD, partido que mantém, desde então, a gestão do executivo municipal.

Nas eleições autárquicas de 2017, o PSD, liderado por Ricardo Gonçalves, conquistou cinco dos nove mandatos (43,2%), sendo os restantes quatro eleitos do PS (34,1%), partido que, na altura, candidatou Rui Barreiro à presidência do município.

Para as autárquicas deste ano, foram até ao momento anunciadas as candidaturas de Ricardo Gonçalves (PSD), Manuel Afonso (PS), André Gomes (CDU), Fabíola Cardoso (BE) e Pedro Frazão (Chega).

Com 18 freguesias, Santarém tinha, no final de 2019, registados 57.421 residentes (62.200 nos Censos de 2011).

Em 2017 votaram 27.776 eleitores dos 51.718 que se encontravam registados.

Leave a Reply