Descubra como poupar na fatura de eletricidade

Em Empresas

A fatura de eletricidade é uma das principais despesas da casa. Mas há várias formas de reduzir o seu custo, e agora o Mais Ribatejo, em conjunto com a Comparamais, explicam-lhe como pode poupar.

Com as faturas mensais de eletricidade a serem uma despesa avultada, que pode facilmente superar os 500€ anuais, conseguir reduzir os seus custos é uma tarefa importante. Isso pode ser alcançado de várias formas, que passam pela mudança de hábitos, troca de equipamentos ou ainda preços mais reduzidos.

As estratégias podem ser várias, e a poupança anual também pode ser significativa. Agora, para que saiba como reduzir as suas despesas de eletricidade, o Mais Ribatejo e a Comparamais deixam-lhe algumas dicas…

  1. Evite os desperdícios

Deixar os equipamentos elétricos em stand-by, sem os desligar da corrente, significa que eles continuam a gastar. Pode parecer um gesto inútil desligar os equipamentos da corrente, mas se começar a multiplicar esta despesa pelas várias TVs, consolas, computadores, carregadores de telemóvel e outros equipamentos que ficam desnecessariamente ligados, verá que a diferença é grande.

Por isso, tente sempre desligar carregadores que não está a usar e, se possível desligar efetivamente os equipamentos eletrónicos no botão, em vez de apenas os deixar em stand-by com o comando.

  1. Seja mais eficiente

Outra forma de reduzir as despesas é ser mais eficiente nos gastos. Por exemplo, uma solução é o ajuste do frigorífico e da arca congeladora com a temperatura correta, evitando consumos superiores para mais refrigeração.

Além disso, pode poupar quando cozinha. Tanto nos fogões a gás como nas placas elétricas, o calor acumulado nas superfícies permite desligar este eletrodoméstico um pouco antes de terminar a confeção das refeições. E, ao fim do ano, poupar na eletricidade e gás.

Nos conselhos de eficiência energética também se incluem, obviamente, alguns comportamentos a evitar. Como deixar luzes ligadas, ter mais lâmpadas ligadas do que necessita para iluminar uma divisão ou esquecer-se e deixar  televisões a trabalhar sem ninguém a ver. Estas são práticas a evitar, e que podem resultar numa grande poupança anual.

  1. Poupe nas lâmpadas

Se ainda não trocou as suas lâmpadas por LED, então continua a ter gastos que pode evitar. Pode parecer pouco compensador gastar dinheiro para ir trocar lâmpadas que ainda estão a funcionar, mas as estimativas apontam que a mudança de toda a iluminação de casa para a tecnologia LED pode resultar numa redução anual de 50€ na fatura de eletricidade.

  1. Escolha equipamentos eficientes

Se antigamente era complicado distinguir quais eram os equipamentos mais eficientes, a nova etiqueta energética dos eletrodomésticos, introduzida em abril, veio mudar essa realidade. E agora é muito mais simples descobrir quanto poupa com equipamentos de categorias de eficiência mais elevada.

Por exemplo, entre frigoríficos das classes D e F existe uma diferença anual próxima dos 100 kWh por ano. O que se traduz numa poupança a rondar os 15€. Mas há outros casos em que os ganhos podem ser ainda mais evidentes, por isso tente sempre escolher os equipamentos com classificação energética mais elevada, já que isso significa uma redução dos consumos

  1. Verifique a potência contratada

Existem duas formas de poupar através da potência, que é um custo fixo diário na sua fatura. Existem oito escalões de potência, entre 3,45 kVA e 20,7 kVA, com preços que são cada vez mais elevados. Por isso, se tiver oportunidade de baixar um escalão da potência, algo que pode verificar com o simulador de potência da ERSE, vai poupar cerca de 60€ por ano.

Além disso, pode verificar os preços da potência contratada entre os vários comercializadores de energia. Mas lembre-se, que isso deve ser feito em conjunto com a comparação dos preços €/kWh.

  1. Analise os preços

Cada empresa tem liberdade para praticar os seus preços de eletricidade, que surgem em €/kWh. Por isso, existem diferenças entre fornecedores, tanto para o custo da energia consumida como no valor diário da potência contratada. Ao encontrar preços mais reduzidos, pode mudar gratuitamente de empresa, sem qualquer fidelização e sem cortes de eletricidade.

  1. Tarifa Simples ou bi-horária?

Saber qual a tarifa horária mais indicada para si é outra boa forma de poupar. Caso tenha hábitos de usar as máquinas de lavar apenas de noite ou ao fim-de-semana ou se está ausente de casa a maioria do dia pode ser mais benéfico a escolha de uma tarifa bi-horária, com preços de eletricidade mais reduzidos nestes períodos.

Mas deve recordar-se que alguns equipamentos, como o frigorífico, a arca congeladora e a Box da TV estão ligados em permanência. Ou seja, consomem também energia no período Fora-Vazio, em que a eletricidade tem um preço no bi-horário mais alto que nas tarifas simples.

A solução é sempre analisar os seus consumos. Mas pode sempre fazer um teste de um mês com uma tarifa diferente, para comprovar qual o horário mais indicado para si.

  1. Aproveite a natureza

Por fim, tire partido da luz e da temperatura exterior. Lembre-se desde logo que usar a luz do dia em vez de usar lâmpadas para iluminar a habitação permite poupar dinheiro.

Algo com especial relevo no Verão e Inverno, estações com temperaturas mais extremas, é saber tirar partido das diferenças de temperatura entre interior e exterior. Assim, no tempo mais frio aproveite para abrir as persianas e cortinados durante o dia, ajudando a aquecer a casa, e no Verão faça o oposto, para evitar tornar o seu lar num “forno”. E no Verão aproveite também as noites mais frescas para baixar a temperatura da casa de forma natural, evitando gastos com ar condicionado e outros equipamentos.

Caso adopte todos estes conselhos, poderá baixar de forma significativa a sua fatura de energia. Segundo explica a Comparamais, por vezes a descida mensal pode ser de apenas 15€, mas ao final do ano isso já significam 180€ de poupança. Como tal, seja eficiente na escolha e uso da eletricidade e analise o mercado para encontrar as melhores formas de poupar na fatura de energia.

Publique o seu comentário