Onde deve estar a estátua de Salgueiro Maia? (áudio)

Em Opinião

Foi há cerca de 6 anos que se iniciou online uma petição que propunha um debate alargado sobre a possível mudança do local da estátua de Salgueiro Maia. Essa petição era na altura dirigida ao Presidente da Assembleia Municipal de Santarém, à época o Dr. Pinto Correia.

Dizia o texto da petição:

Considerando que:

– O monumento em questão não é apenas uma memória e representa muito mais do que uma data ou um grande homem, assumindo-se como um símbolo histórico da nossa cidade, que transporta consigo uma forte carga emocional, cultural e simbólica;

– A possível saída do atual local e a possível futura localização devem ser consensuais;

as e os cidadãos abaixo-assinados solicitam a realização de um debate alargado sobre o tema.

Assim, propõem que a Assembleia Municipal promova uma consulta das forças vivas da cidade, ouvindo entidades como a Comissão das Comemorações Populares do 25 de Abril de Santarém e a Associação 25 de Abril, a Associação de Estudo e Defesa do Património Histórico-Cultural de Santarém, a Associação Comercial e Empresarial de Santarém, as várias Associações Culturais, Recreativas e Desportivas, a Imprensa local e regional com sede no concelho, a União de Juntas de Freguesia da cidade de Santarém, a PSP e a GNR, as Associações de Professores e de Estudantes, os Sindicatos, entre outras, que trarão, certamente, contributos positivos para um diálogo profícuo e um consenso democrático.

Esse debate deve ter como ponto de chegada a discussão e votação do assunto em sede de Assembleia Municipal.

A mobilização deste tema será uma excelente oportunidade de auscultação de vontades e de CIDADANIA.

Afinal, “Santarém é uma história de liberdade”.”

Fui na altura um dos mentores desta iniciativa, que teve 25 promotores, gente na sua grande maioria bem conhecida dos scalabitanos, como o Major António Valente, o Carlos Oliveira (“Chona”), o jornalista Joaquim Duarte, o historiador Jorge Custódio, o Arq.º José Augusto Rodrigues, o Dr. Nelson Ferrão, o Dr. Nuno Domingos, o Dr. Pedro Canavarro e Vicente Batalha.

A questão pôs-se porque a Câmara Municipal falava em mudar a estátua para o Jardim da Liberdade. Considerou-se que esta era mais uma decisão descontextualizada e que essa não seria certamente a melhor solução, pelo que os promotores e os entretanto já subscritores pretendiam que este assunto fosse debatido.

Mas a Câmara Municipal assegurou que o assunto ia ser discutido e que por isso a petição não faria sentido, pelo que os promotores, na sua inocência, cancelaram a petição. Nada foi feito, é claro!

Este assunto veio de novo à baila em meados de 2019 quando o Programador Cultural contratado pela Câmara Municipal considerou e muito bem, que se devia aproveitar a intervenção urbana na fachada da antiga Escola Prática de Cavalaria que estava a ter lugar para repensar a localização da estátua de Salgueiro Maia e da chaimite, que poderia ter mais enquadramento na porta de armas da ex-EPC.  

Apesar de a ideia não ser de forma nenhuma uma ideia peregrina e originalmente saída da sua cabeça, faria todo o sentido. João Aidos, vindo de fora de Santarém, poderia não conhecer outras demandas anteriores, mas elas eram bem conhecidas de quem de direito sobre estas matérias.

Entretanto, daí para cá, ninguém mais falou no assunto e parece que também ninguém mais se interessou por ele. Mas muito provavelmente essa projetada colocação da estátua e chaimite junto à porta de armas da ex-EPC será um nado morto dado que, ao que consta sem confirmações, o uso e livre público acesso a esta estará comprometido por cedências feitas… 

Francisco Mendes

Leave a Reply