Comunidades Intermunicipais do Oeste, Lezíria e Médio Tejo querem NUT autónoma de Lisboa

Em Região/Vídeos

Os presidentes das Comunidades Intermunicipais da Lezíria, do Médio Tejo e do Oeste assinaram, em Santarém, um memorando de entendimento em que se comprometem a “promover todos os esforços” para que o Governo formalize a proposta junto da Comissão Europeia no início de 2022, para a nova NUT II com os 36 municípios destas 3 comunidades intermunicipais possa ser uma realidade no período de programação dos fundos comunitários que se iniciará em 2027. As Comunidades Intermunicipais da Lezíria, do Médio Tejo e do Oeste defendem que a criação desta nova Unidade Territorial de nível 2 é a resposta “às necessidades específicas” deste território, de forma a ficarem autónomas da área metropolitana de Lisboa. Em conferência de imprensa, os presidentes das CIM da Lezíria do Tejo, Pedro Ribeiro, do Médio Tejo, Anabela Freitas, e do Oeste, Pedro Folgado, disseram acreditar que a criação desta nova NUTS II (Nomenclatura de Unidade Territorial para Fins Estatísticos) tem condições para avançar, dada a sensibilidade do atual Governo perante uma reivindicação antiga.

Leave a Reply