José Gandarez: “UDS já está no nacional, como capital de distrito temos de ter a ambição de subir à liga 1” (Vídeo)

Em Desporto/Vídeos

A União Desportiva de Santarém tem a ambição de subir à 1.ª liga do futebol daqui a 5 anos. O projeto foi anunciado pelo dirigente do clube José Gandarez, na conferência em que apresentou o treinador Acácio Santos que renovou o contrato para a época 2021-2022, agora na III Liga.

“Quando começámos este projeto, o nosso objetivo era rumo aos nacionais, agora já estamos no nacional, pelo que como capital de distrito temos de ter o objetivo tem de ser chegar à 1.ª liga”, disse o dirigente da UDS José Gandarez, na apresentação do treiunador Acácio Santos que renovou com o clube por mais um ano.

“A cidade, as empresas e o Município têm de decidir se querem mesmo um clube que lute por esse objectivo de ter um clube na 1.ª Liga Nacional”, diz José Gandarez. “Ainda estamos na Liga 3, ainda temos de passar a liga 2 e depois a 1.ª Liga. Mas uma capital de distrito tem de ambicionar isso. Nos próximos 5 anos vamos trabalhar para isso. Não temos infraestruturas, não temos condições, mas se toda a sociedade civil se envolver, vamos conseguir”.

“A nossa ambição, mesmo com recursos inferiores aos adversários, foi uma das razões que conseguiu convencer o mister Acácio a continuar”, afirma o líder da UDS, sublinhando que “na realidade já foi muito difícil mister Acácio aceitar o convite no ano passado, pois estava habituado a outros patamares, a outras divisões. Agora, passado o choque inicial, vai-nos ajudar a subir para outros patamares. É muito importante deixar bem clara esta visão que temos para o clube”.

Para José Gandarez, “o clube e a SAD são uma mesma instituição, o que faz também a diferença em relação a outras SAD”.

FPF aposta na Liga 3 como antecâmara do futebol profissional

Com a ambição de subir ao topo do futebol nacional, a União Desportiva de Santarém depara-se, com o problema da falta de infraestruturas desportivas na cidade. Para já, a Federação portuguesa de futebol coloca um conjunto de exigências para que a equipa possa participar na III Liga. A Federação exige que os jogos se realizem no relvado natural e que este esteja em boas condições antes de cada jogo. Também a iluminação do campo terá de ser renovada para que possa haver transmissão dos jogos à noite. Os balneários vão ser remodelados e vai ser criada uma área de trabalho para os profissionais da comunicação social. De facto, estas exigências devem-se ao facto de a Federação encarar esta 3.ª Liga como uma antecâmara do futebol profissional.

José Gandarez refere que há três grandes exigências a nível de infraestruturas: balneários, iluminação e relvado natural. A FPF vai fiscalizar o relvado natural sempre antes dos jogos e se não estiver em condições não se realizará o jogo. Tem de haver melhoria da iluminação para haver transmissão de jogos à noite e das condições dos balneários e da zona da comunicação social.

“A Federação Portuguesa de Futebol vai apostar na Liga 3 como a antecâmara do profissionalismo, por isso, tudo aquilo que vemos na televisão com jogos da 1.ª Liga também vamos ter na Liga 3: transmissão de todos os jogos, o homem do jogo, entrevistas no final, flash interview, sala anti-doping… Por isso, vamos ter de criar todas essas condições. Temos de melhorar as condições dos balneários, criar sala-anti-doping,”, afirma José Gandarez

O dirigente da UDS admite que há um problema de relvado, porque treinamos aqui as equipas de formação e seniores. Isso vai ter de acabar, só poderemos treinar aqui duas ou três vezes por semana, caso contrário não vamos ter condições para os jogos. A parte boa, dessa questão do envolvimento é que pelo menos o Município percebeu. Agora há urgência, porque os prazos estão a correr. Estamos a procurar alternativas com o Município para a pré-temporada, que dificilmente se vai realizar aqui, porque não podemos treinar aqui sem balneários. A iluminação vai ser toda nova, os trabalhos estão atrasados, porque para transmissões televisivas. A exigência do relvado vai obrigar a outras soluções. Por exemplo, estes jogos vão ter todos 4 árbitros. Vamos ter de crescer em termos de estrutura, com um diretor de comunicação e um diretor de segurança. A FPF exige que o enquadramento do jogo seja o mais favorável a um bom espetáculo, por isso as casas velhas à volta do campo vão ter de ser tapadas, a zona de imprensa na bancada tem de ser melhorada”.

Os melhoramentos que estão a ser realizados no campo Chã das Padeiras serão suficientes para a Liga 3, mas para a ambição de uma capital de distrito que pretende chegar ao topo do futebol nacional estas obras não são suficientes. Será necessário num estádio com melhores condições. Para os dirigentes da União de Santarém, é importante o clube ter receitas próprias, como outros clubes que têm ou postos de combustível, ou supermercados, ou outras fontes de receitas. A cidade tem de criar condições deve haver responsabilidade social dos empresários para darem um pouco à cidade e à comunidade, defendem os dirigentes do clube.

José Gandarez afiança que “esta visão não é deslumbramento. Se acreditarmos que todos formos unidos e remarmos para o mesmo sentido talvez conseguimos chegar lá. O clube já teve no passado boas memórias, já foi campeão nacional, no basquetebol – faleceu esta semana o João Vidal que foi muito importante para as conquistas alcançadas pelo basquetebol do clube, e no futebol. É altura de voltar a ser”.

Para José Gandarez, “é importante a cidade perceber que é insustentável o clube não ter receitas próprias, todos os outros clubes têm ou postos de combustível, ou supermercados, ou outras fontes de receitas. A cidade tem de criar condições deve haver responsabilidade social dos empresários para darem um pouco à cidade e à comunidade”.

O dirigente da UDS salienta que “a participação da União de Santarém neste campeonato vai dar projeção à cidade e à região e vai trazer muitos visitantes à cidade que irão dinamizar os negócios locais. Penso que a cidade já acordou de alguma forma para o clube. O regresso aos nacionais trouxe esse interesse por parte das pessoas. Agora a cidade vai ter de evoluir muito em termos de infraestruturas desportivas”.

1 Comment

  1. Agora que a UDS vai participar na nova LIGA 3 o Municipio e Viver Santarem väo investir cerda de € 350 000 em melhoramentos no Chä das Padeiras. No entanto as infraestruras para o trabalho das equipas de futebol da UDS deixa muito a desejar. Onde esta’ o täo ansiado campo de apoio (relvado ou sintentico) ao Chä das Padeiras?

    RD – NORDIC

Publique o seu comentário