2.ª edição do ‘Festival Entre Quintas’ Ribatejo 21 abre com a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

Em Ribatejo Cool

A Quinta do Casal Branco e a Casa Cadaval anunciam o concerto de inauguração da 2.ª edição do ‘Festival Entre Quintas’, pela Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, dirigida pelo maestro Nikolay Lalov, que terá lugar no dia 2 de julho, às 21h00, nos jardins históricos da Quinta do Casal Branco, Almeirim.
Serão interpretadas as suites ‘Música Fogo de Artifício’ e ‘Música Aquática’, duas das mais emblemáticas obras do compositor G. Fr. Händel.
Estarão patentes, de 2 a 18 de julho, na Sala da Caldeira, junto à adega de 1817 da Quinta do Casal Branco, várias obras do artista plástico João Cruz Rosa sob o tema ‘Encontro & Memória’.
“Estes trabalhos reflectem um primeiro momento da vontade de integrar propósitos do seu passado pictórico, acréscimo de vocabulário expressivo, confluência de entendimentos e visões”, explica João Cruz Rosa.

O Festival Entre Quintas

Duas quintas com história secular assumem a realização de uma experiência de diálogo entre música, arte e enologia, com eventos que proporcionarão a todos a possibilidade de aliar o prazer musical com a experiência vitícola, emoldurados pela elegância e beleza dos espaços envolventes.

O festival ‘Entre Quintas’ apresenta concertos e recitais entre os dias 2 e 11 de Julho, em diferentes espaços das quintas o Casal Branco e do Cadaval, usufruindo de cenários naturais que unem estas facetas da arte portuguesa de bem receber, enaltecida pela música.

Dois fins-de-semana passados em harmonia, entre a arte e a natureza, que tornam a Quinta do Casal Branco e a Casa Cadaval, locais de atração turística e cultural.
Localizadas a cerca de 50 minutos de Lisboa e de fácil acesso via A1, as duas quintas oferecerão tardes inesquecíveis, com música de diferentes géneros, abrangendo diferentes faixas etárias e gostos.
Esta experiência de diálogo entre a música e arte vitícola é também uma homenagem às figuras emblemáticas de Olga Cadaval e Maria Lívia Braamcamp Sobral, senhoras de grande cultura e sensibilidade artística que deram renome às propriedades que administraram, Casa Cadaval e Quinta do Casal Branco, respectivamente.
‘O Festival Entre Quintas’ tem a parceria da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras (OCCO) e do seu diretor artístico, o maestro búlgaro Nikolay Lalov.
O programa pode ser encontrado aqui  e os bilhetes para os concertos podem ser adquiridos via Tickeline.
Este conjunto de eventos culturais conta com vários patrocínios institucionais e particulares, dos quais se destacam Fundação Millennium BCP, Cork Supply, Câmara Municipal de Almeirim e Borrego Leonor & Irmãos. As receitas reverterão inteiramente para a OCCO, como forma de apoio à Cultura nacional.
Nas palavras de Teresa Schönborn, Condessa de Schönborn-Wiesentheid, administradora da Casa Cadaval, “a simbiose da música e do vinho é como a natureza ribatejana, com notas que encantam a alma e elevam os sentidos”. O CEO da Quinta do Casal Branco, José Lobo de Vasconcelos, realça que este projeto pretende “envolver todos os participantes pela música, num local único e rodeado pelo melhor que o Ribatejo tem para oferecer-lhe”.

Quinta do Casal Branco, em Almeirim

A Quinta do Casal Branco

Fundada em 1775, a propriedade que, durante quatro séculos, foi coutada real, espraia-se hoje por 1.100 hectares. Desses, 119 são ocupados por vinha em solos de charneca argilo-arenosos.
A propriedade da família Braamcamp Sobral Lobo de Vasconcelos é uma das mais emblemáticas da margem sul do Tejo. A primeira adega da Quinta do Casal Branco data de 1817, sendo a primeira a vapor da região de Almeirim. O início do séc. XX ficou marcado por uma profunda intervenção levada a cabo por D. Manuel Braamcamp Sobral em toda a propriedade, com a introdução de maquinaria a vapor, plantio de novas castas, modernização e ampliação da adega, bem como das restantes infraestruturas.
A forte aposta na viticultura e na produção vinícola deu início a uma tradição marcada pela inovação, qualidade e consistência dos vinhos, produzidos até aos nossos dias. A Quinta do Casal Branco é um lugar privilegiado para desfrutar de múltiplas experiências de enoturismo, gastronomia e cultura equestre, sendo parte integrante da rota de vinhos do Tejo e dos Jardins Históricos de Portugal.

Casa Cadaval em Muge


A Casa Cadaval

O Palácio da herdade de Muge tem uma história secular, que remonta a vários anos antes de pertencer à família Cadaval. Em tempos terá sido habitado pela Rainha D. Leonor de Áustria (terceira mulher de Rei Manuel I, irmã do Imperador D. Carlos V e mãe da Infanta Dona Maria), que aqui viveu até 1530, altura em que se casou com o Rei de França, Francisco I. Só mais tarde, no início do séc. XVII, é que a propriedade, então pertença da família dos Condes de Odemira, passou a estar sob o domínio da Casa Cadaval, quando a filha, Dona Maria de Faro, Condessa de Odemira, se casou com D. Nuno Álvares Pereira de Melo, 5º Conde de Tentúgal, 4º Marquês de Ferreira e o 1º Duque de Cadaval.

A Casa Cadaval tem, atualmente, uma propriedade que compreende cerca de 5400 hectares e é gerida, há 5 gerações consecutivas, por mulheres, sendo hoje Teresa Schönborn, Condessa de Schönborn-Wiesentheid, a presidente do Conselho de Administração da Casa Cadaval.


A Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras

A Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras (OCCO) é uma formação apoiada pelas Câmaras Municipais de Cascais e de Oeiras e pela Direção Geral das Artes/ Ministério da Cultura.
Considerada por muitos uma das melhores formações deste género em Portugal, a OCCO é, atualmente, um elemento fundamental da vida cultural dos concelhos de Cascais e Oeiras.
Com mais de 120 espetáculos por ano, divididos entre concertos sinfónicos, recitais de música de câmara, concertos didáticos e animações, a OCCO desenvolve uma atividade periódica nos dois concelhos, tendo também vindo a atuar por todo o país e realizado várias apresentações no estrangeiro.
Em 2008, a OCCO criou o primeiro Conservatório Oficial de Música no concelho de Cascais, ligando desta forma a sua atividade artística ao ensino da música. Neste momento, o Conservatório de Música de Cascais conta com mais de 320 alunos inscritos e tem acordos de articulação com três escolas oficiais do concelho de Cascais.
Na área educativa, a OCCO desenvolveu vários projetos e iniciativas que tiveram um forte impacto junto do público. São disso exemplos a 1.ª ópera infantil “Um Sonho Mágico”, estreada em 2000 no CCB, com diversas apresentações em vários pontos do país, e o projeto “ABC da Música”, nos concelhos de Cascais e Oeiras, com o objetivo de familiarizar o público infantil com a música erudita e os instrumentos musicais, através de pequenos concertos comentados.

1 Comment

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*