fbpx

Newsletter

Não perca as últimas. Receba no Email as notícias do Mais Ribatejo

Email Marketing by E-goi

Homenagem a Aurélio Dias Nogueira, ilustre constanciense e fundador da Comissão de Camões há cerca de 50 anos

Em Correio dos Leitores

Desta vez vou dar-vos alguns apontamentos soltos sobre uma figura querida da população da vila de Constância, no caso, Aurélio Dias Nogueira, um ilustre cidadão com quem trabalhei ainda durante três anos na Santa Casa da Misericórdia de Constância.

O Sr Aurélio, como sempre lhe chamámos, desempenhou as funções de Presidente da Câmara Municipal de Constância, de Presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Constância, de Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Constância e de fundador da Comissão Para a Restauração da Casa dos Arcos (de Camões), entre outras funções. Foi um comerciante importante em particular na indústria das redes de pesca, drogaria, mercearia e papelaria.


Aurélio Dias Nogueira, foto cedida  pela neta, Rita Nogueira.

É um dos nomes que deveria constar da toponímia local ao invés de certos indivíduos com ligações à Carbonária que ensombram as históricas ruas da vila… Foi também fundador comigo em 1987 do Coral Pugna Tagi da Irmandade pois o apadrinhou desde o primeiro momento enquanto Provedor, mais a D. María  José Falcão.

Há uma coisa que posso testemunhar sobre a personalidade do Sr Aurélio: amava a nossa vila. Da Comissão de Camões empossada pelo Sr Aurélio em 7 de Maio de 1972 (para o ano decorrerão 50 anos sobre este evento):  Manuela de Azevedo, Capitão Eduardo da Silva Redondo, Mário Mendes Lopes, Afonso Themudo de Castro, José Alves de Meira Gameiro Burguete, António Alves Ribeiro Soares, Aníbal Manuel Vieira da Cruz, Luís da Silva Mello, Dr Celestino Rego Alves, Joaquim dos Mártires Neto Coimbra, Capitão Manuel de Sousa Vitoriano Joaquim Candidato Henriques dos Santos.
Manuela de Azevedo, a grande obreira da associação, escreveu nas suas memórias o seguinte: “Foi depois de 1973, que acedi aos veementes pedidos do então presidente da Câmara Sr Aurélio Nogueira, que decidi regressar ao desenvolvimento da Casa de Camões, a que por sugestão de Adriano de Gusmão passou a chamar-se em documentos oficiais Casa-Memória de Camões”.

Notícia, salvo erro, do DN ou do Diário de Lisboa (?) de 13-06-1972. 

Existem muitas evidências sobre a importância das acções desenvolvidas pelo Sr Aurélio em prol da Casa de Camões. Em Junho de 1972 a imprensa noticiava o pedido assinado por si e pelo Conservador dos Monumentos Nacionais do distrito, Arquitecto Mota Lima, para que as ruínas fossem declaradas como monumento nacional. Desde pequeno que ouvia o Sr Aurélio  falar da Casa de Camões com muito afecto.

Na sua papelaria vendiam-se os livros de um médico local que tinha consultório no Chiado em Lisboa o Dr. Adriano Burguete, grande camonista e igualmente defensor das nossas tradições locais. A primeira verba aprovada no parlamento para a Casa de Camões saiu no Diário da República. Recordo ainda o momento de felicidade do Sr Aurélio quando me deu uma fotocópia do dito diário. 


Circular da Comissão Executiva Para a Reconstrução da Casa de Camões em Constância. Uma pérola. Assinada por Aurélio Dias Nogueira. «A bem da Nação». Será anterior a 25 de Abril de 1974, em princípio. Reparem na referência ao filme do sr Mendes Lopes.

 Foi pela mão de Natália Correia que se conseguiu a proeza. Sim! Essa é a Natália do “bar” próximo da Cadeia das Mónicas onde os “24 saneados” do Diário de Notícias (MA estava no grupo) foram beber um Porto pelo bom rumo da Revolução. Em Constância, por essa mesma altura, o Sr Aurélio Nogueira elaborava uma declaração de aceitação do manifesto do Movimento das Forças Armadas.

Escrevo ao correr da pena, fazendo uso do critério de positividade. Que as boas recordações ajudem a fortalecer o nosso sentimento de pertença ao grande grupo dos constancienses.


.José Luz

(Constância)


PS- não uso o dito AOLP. A participação da Câmara Municipal de Constância na entidade da Casa de Camões ocorreu ao abrigo das normas anteriores à Constituição da  República Portuguesas de 1976.  Não haja confusão com a Associação privada fundada em 1979.


Ofício do Presidente da Câmara, Sr Aurélio Dias Nogueira convidando o cronista Joaquim dos Mártires Neto Coimbra para a tomada de posse na Comissão sobre a Casa de Camões.


Leave a Reply

Recentes de Correio dos Leitores

Ir para Início
%d bloggers like this: