fbpx

Pensar os benefícios do SIFARMA 2000 para a melhoria da saúde dos portugueses

Em Saúde

Oiço há anos falar neste instrumento centrado no aconselhamento e na segurança quando se dispensam medicamentos e, infelizmente, ele ainda não está em execução nas farmácias. Porque o SIFARMA 2000 quando estiver na sua farmácia será uma ferramenta indispensável para a sua saúde e segurança. Vale a pena explicar como e porquê.

O SIFARMA 2000 basear-se-á numa ficha de utente, totalmente voluntária, será garantida absoluta confidencialidade em consonância com a legislação referente à proteção de dados. Tão voluntária que a qualquer momento o doente/utente pode pedir para serem eliminados os seus dados. O que é que esta ficha tem de especial? Permite um melhor conhecimento do utente e um aumento dos níveis de segurança com os medicamentos que toma. Porque o SIFARMA 2000 é um registo de dados essenciais para o bom uso do medicamento.

O aconselhamento farmacêutico é tão ou mais eficaz quando se conhece o histórico do doente, é um registo de patologias, dos medicamentos que toma ou já tomou, quais as reações adversas já detetadas, eventuais alergias, outros problemas associados aos medicamentos, tipos de automedicação praticada e muitos outros fatores. O benefício mais evidente do SIFARMA 2000 é o de, de forma rápida e completa: identificar a possibilidade de interferências com doenças ou com outros medicamentos, como se disse acima, informar o doente sobre as precauções particulares na utilização do medicamento; explicar quanto, quando e como tomar de forma correta o medicamento, identificando fatores que contribuam para a efetividade da toma do medicamento.

Assim se pode ver o que os doentes/utentes estão a perder por não haver o pleno funcionamento do SIFARMA 2000. Recorde-se que vivemos num tempo que é caraterizado pela apologia aos autocuidados, à automedicação responsável, pela adesão terapêutica, pela gestão da doença crónica.

O SIFARMA 2000 potencia a informação na farmácia. E há um aspeto a que devemos dar muita importância no que toca aos medicamentos não prescritos pelo médico. As farmácias e as suas equipas, por definição, procuram garantir e promover a maior segurança e efetividade na utilização dos medicamentos. Quando esta informação ficar registada no SIFARMA 2000 surgirão avisos personalizados. Estes avisos identificarão as situações de, por hipótese, existirem medicamentos duplicados e qual a sua contraindicação e qual a sua interação.

Dito abreviadamente, o SIFARMA 2000, no tocante aos medicamentos sem receita médica, garante segurança aos doentes/utentes já que será possível de uma forma rápida e completa, identificar contraindicações, interações, reações adversas e situações de duplicação da terapêutica e informar o utente sobre precauções particulares na utilização do medicamento, bem como disponibilizar informação técnico-científica adequada e atualizada sobre cada medicamento.

Aguardo com impaciência a implementação nacional do SIFARMA 2000. Será mais um elemento para dotar o doente/utente de capacitação, de literacia e de autonomia com base num aconselhamento rigoroso, será uma informação totalmente gratuita que nos possibilitará escolhas corretas para o nosso bem-estar. Que o SIFARMA 2000 venha depressa, são os meus votos.

Mário Beja Santos

Publique o seu comentário

Recentes de Saúde

Ir para Início
%d bloggers like this: