Prémio Joaquim Chissano entregue a Ivone Soares no IP Santarém

Em Educação

O Instituto Politécnico de Santarém propôs a atribuição de Menção Honrosa no âmbito do Prémio Joaquim Chissano ALUMNI Estudante Moçambicano em Portugal 2021 a Ivone Soares Selemane.

O prémio, instituído pela CCPM – Câmara do Comércio Portugal Moçambique, destaca o percurso académico e profissional de excelência e singularidade assim como o contributo do galardoado para a valorização da “economia e sociedade Moçambicana, bem como para cimentar a fraternidade entre os povos e culturas dos nossos países”.

Ivone Soares desenvolveu um estudo com os investigadores Rui Moreira de Carvalho e Carlos Vieira, sobre “mobile money no alargamento da inclusão financeira no norte de Moçambique, numa região rural extremamente pobre”. A região do Niassa, desfavorecida em infraestruturas, agências bancárias e telecomunicações de linha fixa. O estudo promove uma solução mobile em que os telemóveis oferecem janelas de oportunidades ao desenvolvimento.

Este trabalho foi apresentado na Conferência Virtual “Transformação Digital e Tecnologias da Informação em tempo de Pandemia” realizada em dezembro de 2020 e publicado no Vol. 8, N.º 4 (2020) da Revista da UI_IPSantarém.


A Menção Honrosa foi atribuída a 21 de abril de 2021 e entregue à laureada Ivone Soares, a 6 de julho no iSpot do Instituto Politécnico de Santarém.

Ivone Soares é ativista dos Diretos Humanos e deputada da Assembleia da República de Moçambique, líder da Bancada Parlamentar da RENAMO. É bloguista, colunista do Jornal SAVANA e escritora. Em 20214 foi eleita uma das 50 personalidades jovens emergentes “50 Rising Stars of Africa” pelo “The Africa Report” tendo sido eleita co-presidente da campanha para o estabelecimento do Parlamento das Nações Unidas e em 2019 Conselheira da Rede International Democracy Without Borders.
A cerimónia incluiu uma visita aos SAS – Serviços de Ação Social, Residência Andaluz e Escola Superior Agrária numa perspetiva assumida pela galardoada e o IPSantarém de se promover a cooperação entre os dois países, em particular, encontrar soluções de cooperação para que estudantes femininas moçambicanas, da região do Niassa, possam vir a estudar em Cursos da Escola Agrária, através de acordos a estabelecer entre organizações moçambicanas e o IPSantarém.

Publique o seu comentário