Domingo, Julho 21, 2024
InícioAutárquicas 2021Rita Lopes pretende dar voz às causas do PAN no concelho de...
banner-complexo-aquático

Rita Lopes pretende dar voz às causas do PAN no concelho de Santarém

Muito jovem, Rita Lopes resgatava animais abandonados. Anos depois, no PAN, partido pelo qual se candidata à Câmara de Santarém, encontrou a defesa de valores com os quais se identifica e a que quer dar voz.

Rita Lopes, 38 anos, candidata do Pessoas-Animais-Natureza (PAN) à presidência da Câmara Municipal de Santarém nas eleições autárquicas do próximo dia 26, inscreveu-se ainda adolescente na JSD e chegou a ser eleita nas listas sociais-democratas para a Junta de Freguesia da Sé Nova, em Coimbra, quando estudava Educação de Infância, cargo que abandonou em 2004, ano em que partiu, em Erasmus, para a República Checa.

Regressada a Portugal em 2010, depois de uma licenciatura em Informática de Gestão na República Checa e uma experiência de trabalho na Grécia, começou “a ouvir falar do PAN”, encontrando no partido a defesa das ideias em que acredita.

A viver em Santarém, onde constituiu família, desde 2014, Rita Lopes optou por lecionar informática e robótica, dada a dificuldade em conciliar o trabalho numa empresa em Lisboa com o cuidado e a educação dos três filhos.

Foi na cidade escalabitana que se envolveu ativamente com a estrutura do PAN que tem vindo a crescer no distrito e cujo líder, Pedro Machado, vê em Rita Lopes alguém “com muita garra”, que “pensa sobre as coisas” e que “procura soluções locais” para problemas que identifica na comunidade.

A candidatura destaca as questões sociais, ambientais e de proteção e bem-estar animal, querendo Rita Lopes chegar aos jovens, “desmistificar algumas ideias”, para contrariar algum conservadorismo e escassa informação sobre o que o partido verdadeiramente defende.

Rita Lopes lidera as listas à Câmara e à Assembleia Municipal de Santarém, sendo expectativa do PAN que seja eleita para um destes órgãos, e possa “marcar a agenda” e “dar mais força à voz” que é também dos escalabitanos que reivindicam mudanças nas políticas ambientais e animal, mas também de proteção aos mais idosos.

Para esta faixa etária propõe projetos inovadores, como a constituição de “repúblicas”, apoiadas por técnicos e voluntários, que respeitem a liberdade de escolha e respondam às necessidades da população mais idosa.

Para os mais jovens, a candidata do PAN defende também medidas promotoras do emprego, com bonificações para as empresas que os contratem, e de apoio ao arrendamento, apontando ainda medidas de incentivo à fixação de médicos, nomeadamente com a emissão de ‘vouchers’ a usar no comércio local, no que contribuiria igualmente para dinamizar a economia do concelho.

O partido quer ainda medidas para atrair para Santarém empresas que apostem na sustentabilidade ambiental e bem-estar das populações, e que deem primazia à agricultura sustentável, defendendo uma “especial atenção” ao rio Tejo, afetado não apenas a montante, pela gestão do caudal feito pelas barragens – no que apela a uma revisão da Convenção de Albufeira -, mas também a jusante, pela subida da água do mar.

A existência de “pombais contracetivos” – projeto em que o partido tem vindo a trabalhar com a atual liderança social-democrata para resolver um problema que afeta sobretudo o centro histórico -, uma política de esterilização de animais de companhia e a criação de abrigos comunitários para animais inseridos na comunidade são outras propostas da candidatura.

O PAN quer ainda a criação de espaços verdes com árvores autóctones, disponibilizando-se para, com parcerias, dinamizar um projeto-piloto baseado nos designados “bosques Miyawaki”, desenvolvidos em países como a Alemanha e que “provaram permitir uma restauração ecológica rápida e bastante sustentável”.

Em 2017, o PSD obteve 43,2% dos votos, elegendo cinco dos nove elementos do executivo municipal escalabitano, e o PS (34,1%) ocupou os restantes lugares.

Além de Rita Lopes, concorrem à Câmara de Santarém o atual presidente, o social-democrata Ricardo Gonçalves (candidato a um terceiro mandato); Manuel Afonso, deputado e presidente da concelhia do PS; Fabíola Cardoso, deputada pelo BE; André Gomes, médico, pela CDU (PCP/PEV); Pedro Frazão, médico veterinário, pelo Chega; Alexandre Paulo, responsável de recursos humanos, pelo CDS-PP; e Marcos Gomes, gestor de produto, pela IL.

Maria de Lurdes Lopes

da agência Lusa

Receba a newsletter com as notícias do Ribatejo

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

Deixe o seu comentário

por favor, escreva o seu comentário
Por favor, escreva aqui o seu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Também pode ler

Subscreva a newsletter

Receba as notícias do dia do jornal Mais Ribatejo diretamente na sua caixa de email.

Artigos recentes

banner-aguas-ribatejo

Comentários recentes

pub
banner-união-freguesias-cidade-santarem

banner-em-saude-e-melhor-uls-estuario-tejo-2024