Quinta-feira, Fevereiro 22, 2024

Oferta

Receba o ebook Leituras Inextinguíveis Vol.II

InícioRegiãoAssociação Amigos de Samora quer retirar trânsito pesado do centro da cidade
banner-mes-da-enguia-salvaterra-de-magos

Associação Amigos de Samora quer retirar trânsito pesado do centro da cidade

A ASASC – Associação Social Amigos de Samora Correia insiste na urgência de retirar o trânsito pesado do troço da EN 118 que atravessa a cidade de Samora Correia.
“A circulação de camiões não acrescenta nada à vida da comunidade e causa relevantes prejuízos ao nível da segurança, mobilidade, ruido, poluição ambiental e danos nos prédios e infraestruturas”, refere a ASASC num documento enviado à Câmara Municipal de Benavente, Assembleia Municipal de Benavente, Junta de Freguesia de Samora Correia, Assembleia de Freguesia de Samora Correia, Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo, Infraestruturas de Portugal, Ministério das Infraestruturas e da Habitação, deputados eleitos pelo círculo de Santarém e Observatório da Segurança Rodoviária.

Reinvindicação apresentada na reunião da Câmara de Benaventeacidente avenida samora correia

A ASASC esteve presente na sessão da Câmara Municipal de Benavente em que foi aprovado o orçamento municipal para o próximo ano e apresentou o documento em defesa da retirada do trânsito pesado da Avenida O Século, exortando o Município a assumir o compromisso de realizar esta intervenção no próximo ano e com a maior brevidade possível.

Já perderam a vida 14 pessoas em acidentes na Avenida O Séculoacidente com pesado samora correia

Segundo a ASASC, nos últimos 20 anos perderam a vida 14 pessoas em acidentes neste troço da EN 118 que atravessa a cidade de Samora Correia. A maioria envolveu viaturas pesadas de mercadorias que não precisavam de circular nesta via porque existe alternativa.
Acresce que o congestionamento permanente na Avenida O Século motiva a utilização de arruamentos interiores da cidade e aumenta a pressão e o risco de acidentes em zonas habitacionais, com escolas e equipamentos públicos utilizados maioritariamente por crianças e idosos.
“Esta opção legítima e natural dos condutores causa maior desgaste nas vias municipais, aumenta o risco de acidente, gera poluição atmosférica e sonora e reduz a qualidade de vida de quem escolheu Samora Correia para viver por ser uma cidade segura e tranquila”, afirma a ASASC.

Poluição do ar e risco de acidentes agravados

transito pesado samora correia

Os cruzamentos no atravessamento do troço da EN 118 (Avenida O Século) são perigosos, geradores de insegurança e contribuem para a falta de mobilidade de quem os utiliza sejam utilizadores de veículos ou peões.
Atente-se ao cruzamento da EN 118 com a Avenida Egas Moniz e a Rua Popular, onde se situa a Junta de Freguesia de Samora Correia. Este é um dos pontos negros revelados num estudo da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.
O cruzamento da EN 118 com a Estrada dos Curralinhos e rua Luís de Camões (perto da estação de serviço da GALP) é outro foco de sinistralidade, infelizmente com perda de vidas como aconteceu recentemente com o nosso estimado conterrâneo e antigo bombeiro Alberto Lopes com apenas 50 anos.

Pontos negros assinalados no Euro Rap da União Europeiaacidente avenida o seculo

Estes pontos negros estão assinalados com duas estrelas na classificação Euro Rap que certifica os pontos de maior risco de acidentes na União Europeia.
O mesmo estudo alerta para o perigo gerado pela circulação de centenas de camiões todos os dias no troço da EN118 que atravessa a cidade de Samora, na denominada Avenida O Século, entre as rotundas dos campinos (A Torre) e a do Touro (Herdade do Pinheiro).
Nos últimos 20 anos, 14 pessoas morreram vítimas de acidentes na Avenida O Século, alguns atravessavam nas passadeiras gastas pelo tempo e mal iluminadas. Cinco das vítimas foram esmagadas por camiões que não tinham de atravessar a cidade para seguir a sua rota.

Retirada dos pesados de mercadorias da cidadeacidente avenida o seculo

A retirada dos pesados de mercadorias no troço da EN 118 que atravessa Samora Correia, a par da colocação de semáforos nos cruzamentos citados e a iluminação das passadeiras, têm todas as condições para se efetivar com um investimento exequível e facilmente justificado.
Só falta a Câmara Municipal de Benavente se sentar à mesa com a Infraestruturas de Portugal e limar arestas.
A cidade de Samora Correia tem uma alternativa para desviar os camiões usando a variante que liga a EN 118 à EN 10 com passagem na Zona Industrial da Murteira.
Disponibilizando esta variante, pode e deve, a IP desclassificar o troço urbano da EN 118.
Esta proposta tem a concordância da Infraestruturas de Portugal e da CMB suportada nas vantagens para todos: peões, automobilistas, motoristas de pesados, empresas proprietárias dos camiões, moradores e transeuntes em Samora Correia.

“Neste dia em que o executivo da CMB aprova o seu orçamento reforçamos o apelo para que considere esta intervenção com um reforço da dotação orçamental para a sua concretização no ano de 2023”, refere a ASASC.

A Associação Social Amigos de Samora Correia ASASC é uma organização não governamental devidamente registada e legalizada com a finalidade da defesa do interesse público e da qualidade de vida de uma população de 18 mil cidadãos num território de 322 km2.

 

Deixe o seu comentário

por favor, escreva o seu comentário
Por favor, escreva aqui o seu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Também pode ler

Subscreva a newsletter

Receba as notícias do dia do jornal Mais Ribatejo diretamente na sua caixa de email.

Artigos recentes

Comentários recentes

pub
banner-união-freguesias-cidade-santarem