Domingo, Fevereiro 25, 2024

Oferta

Receba o ebook Leituras Inextinguíveis Vol.II

InícioEmpresasEndesa e Confagri lançam curso de aplicação de fitofarmacêuticos na Chamusca
banner-mes-da-enguia-salvaterra-de-magos

Endesa e Confagri lançam curso de aplicação de fitofarmacêuticos na Chamusca

Curso de APLICAÇÃO DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS com início a 3 de novembro e término a 18 de novembro.  As inscrições já estão abertas, estimando-se que irão encerrar no dia 24 de outubro. Trata-se de um curso gratuito com capacidade para 19 pessoas por edição, dirigido a toda Região de implantação do Projeto de Transição Justa do Pego. Será dada prioridade a residentes, ex-trabalhadores Pego, pessoas em situação de desemprego e mulheres. Não é necessário nenhum requisito prévio para frequentar este curso. O curso é promovido pela ENDESA em parceria com a Confagri, com a Fábrica do Empreendedor e Câmara Municipal da Chamusca.

A Endesa, em parceria com a CONFAGRI, a Fábrica do Empreendedor da Chamusca e a Câmara Municipal da Chamusca, anuncia agora o lançamento do curso ” APLICAÇÃO DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS”, com o objetivo de promover o desenvolvimento económico na Região de implantação do Projeto de Transição Justa do Pego e a capacitar os formandos, de acordo com a Lei 26/2013, que prevê que desde 26 de novembro de 2015 todos os aplicadores profissionais são obrigados a ter formação de aplicador e a compra de produtos fitofarmacêuticos só pode ser realizada por aplicadores habilitados.

O curso é GRATUITO, com uma duração total de 35 horas de formação, existem 19 vagas por edição e serão priorizados os residentes, ex-trabalhadores Pegop, pessoas em situação de desemprego e mulheres.

As inscrições estarão abertas até ao dia 24 de outubro de 2023 no website da Endesa https://www.endesa.pt/particulares/sustentabilidade/escola-rural-energia-sustentavel.

O curso terá início a 3 de novembro e será realizado em formato pós-laboral e presencial, nas instalações da Fábrica do Empreendedor da Chamusca.

Este curso está inserido na Escola Rural de Energia Sustentável que contém o Plano Global de Formação, que a Endesa tem vindo a implementar desde março deste ano, com um investimento de um milhão de euros, e que contará com mais de 1 300 beneficiários, e favorecerá os residentes, os desempregados e as mulheres na região.

A “Escola Rural de Energia Sustentável” inclui cursos técnicos nas energias renováveis (construção e montagem de centrais solares e a operação e manutenção de centrais de energias renováveis). Também inclui formação nas atividades no setor primário. Com vista a integração de atividades de agricultura, pastoreio e apicultura entre os painéis nos parques renováveis da Endesa, assim como cursos de competências transversais como gestão, administração e as ferramentas digitais.

O programa formativo será composto pelos seguintes módulos:

  • Princípios gerais de proteção das culturas
  • Segurança na utilização de produtos fitofarmacêuticos, sistemas regulamentares e redução do risco
  • Material de aplicação
  • Armazenamento, transporte e acidentes com produtos fitofarmacêuticos

Componente teórica (T): 25h; Componente prática (P): 10h

 Os candidatos selecionados terão acesso a uma formação teórica e prática, que os vai capacitar e habilitar para executar práticas de aplicação de produtos fitofarmacêuticas.

 Como se inscrever:

  • On-line:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSe8_y1aDDT4fF_nWQcg-3gfDwUe70VulZifxU76BPs66X6ZCg/viewform

  • Através de QRCode:

qrcode endesa

O Plano de Formação da Endesa reafirma o compromisso da empresa em impulsionar o desenvolvimento económico e social da Região de implantação do Projeto de Transição Justa do Pego.

Com este curso, a Endesa oferece uma oportunidade de aprendizagem de alta qualidade, capacitando os participantes com conhecimento, teórico e prático.

Os candidatos que completarem com sucesso o curso receberão uma certificação profissional, atribuída pela Direção Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT).

Escola Rural de Energia Sustentável (https://bit.ly/endesa-escola-pego): Plano Formativo previsto para 2023:

  • Formação em energias renováveis:

– Curso Técnico(a) de instalações elétricas e fotovoltaicas e autoconsumo

– Curso Montador de Painéis Solares

  • Formação no setor primário:

– Curso Aplicação de Produtos fitofarmacêuticos

– Curso Modo de Produção Biológico

1.3. Formação em gestão e tecnologia

– Curso Auxiliar Administrativo e Ferramentas digitais

Plano Global de Formação da Endesa

A proposta apresentada pela Endesa inclui um projeto de formação e de desenvolvimento social e económico para a Região.

A Endesa elaborou um Plano Global de formação, que permitirá a reciclagem profissional, abrindo também a possibilidade de futuros empregos para os desempregados da Região. Este Plano Global de Formação inclui cursos que vão desde a construção e instalação de centrais solares, à operação e manutenção de centrais renováveis. Adicionalmente, inclui atividades do setor primário, com vista a integração de atividades de agricultura, pastoreio e apicultura entre os painéis nos parques renováveis da Endesa. Também estão incluídos cursos de competências transversais, na área de gestão e tecnologia.

As iniciativas do Plano Global de Formação destinam-se principalmente aos habitantes da Região de implantação do Projeto de Transição Justa do Pego, sendo dada prioridade de acesso a residentes, ex-trabalhadores Pegop, pessoas em situação de desemprego e mulheres.

O projeto de Transição Justa da Endesa:

Depois do fecho da central térmica do Pego, a Endesa ganhou o concurso público e obteve em 2022, um direito de ligação à Rede Elétrica de Serviço Público (RESP) de 224 MVA. Para a instalação de 365 MWp de energia solar, 264 MW de energia eólica, com armazenamento integrado de 168,6 MW e um eletrolisador de 500 kW para a produção de hidrogénio verde.

Situado na Região de implantação do Projeto de Transição Justa do Pego, trata-se de um projeto economicamente sustentável que não depende de subsídios externos, e que representa um investimento da Endesa de 600 milhões de euros.

O sucesso da proposta da Endesa deve-se sobretudo aos projetos de desenvolvimento social e económico para a Região, uma vez que se compromete com a criação de 75 postos de trabalho permanentes, um Plano Global de formação “Escola Rural de Energia Sustentável” e apoio às PME para que integrem os seus projetos na Região.

O projeto da Endesa foi concebido desde o início como uma colaboração com a Região de implantação do Projeto de Transição Justa do Pego e com os trabalhadores envolvidos no encerramento da central a carvão do Pego, pelo que a proposta apresentada inclui um Plano Global de formação “Escola Rural de Energia Sustentável” e de desenvolvimento social e económico para a Região.

Por outro lado, a Região de implantação do Projeto de Transição Justa do Pego será convertida num espaço para a biodiversidade, onde os projetos tecnológicos serão hibridizados com os setores primário e secundário, uma aposta da Endesa na qual a empresa tem trabalhado há vários anos noutras instalações e que têm demonstrado a sua viabilidade.

Esta Criação de Valor Partilhado ou CSV (Creating Shared Value) com que a Endesa trabalha em todos os seus projetos visa maximizar o seu valor para a comunidade envolvente através de um conjunto de iniciativas que são construídas através de um processo participativo com os agentes locais. O que torna o projeto da Endesa em Abrantes único é precisamente o envolvimento das PME locais que vão desenvolver o seu modelo de negócio na Região, com projetos específicos.

 

 

banner-jornadas-gastronomia-Coruche

Deixe o seu comentário

por favor, escreva o seu comentário
Por favor, escreva aqui o seu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Também pode ler

Subscreva a newsletter

Receba as notícias do dia do jornal Mais Ribatejo diretamente na sua caixa de email.

Artigos recentes

Comentários recentes

pub
banner-união-freguesias-cidade-santarem