Home Cultura & lazer

Fernando Tordo em Coruche nos 50 Anos de Abril

0

Fernando Tordo é o nome que, a 26 de abril, pelas 22 horas, comemora o cinquentenário da Revolução dos Cravos em concerto no Pátio do Museu Municipal de Coruche. Intitulado “50 Anos de Abril – Parabéns a Nós“, o espetáculo celebra com canções, histórias e memórias marcantes o espírito de Abril num alinhamento que inclui temas especiais como “Tourada”, “Apenas o meu Povo” ou “Café”, sem esquecer “Estrela da Tarde” ou “Cavalo à Solta”. Escancarando as portas que Abril abriu, o incontornável Fernando Tordo traz a Coruche não apenas uma celebração da música, mas também uma homenagem aos artistas e ao espírito de resistência cultivado antes, durante e depois do 25 de Abril. Mais do que um concerto, esta é uma oportunidade única para reviver as canções e as histórias que marcaram um período histórico do País que urge recordar e sentir.

Abril, que se respira em tantas das canções de Fernando Tordo, é o tema central do espetáculo “50 Anos de Abril – Parabéns a Nós”. São numerosas as canções, as histórias e tanto da sua carreira que o músico quer celebrar e recordar em Coruche – momentos que se podem definir cantando e contando, especialmente por um exímio contador de histórias que promete uma experiência única ao som de canções icónicas como, entre tantas outras, “Tourada“, que também celebrou recentemente 50 anos desde a sua estreia.
Composta em colaboração com Ary dos Santos e orquestrada por Pedro Osório, “Tourada” não só venceu o Festival da Canção de 1973, como também desafiou a censura do Estado Novo com a sua crítica subtil ao regime, tornando-se um símbolo cultural da época, quando todas as formas de arte viviam sob constante repressão.
Artistas como Tordo procuravam passar mensagens de resistência de forma subliminar e inteligente. “Tourada” é disso exemplo paradigmático – um tema que, escapando às malhas da censura, venceu o Festival da Canção de 1973, acabando por se tornar um marco cultural que passou pelo exame do lápis azul. De facto, só depois da vitória no Festival estalou a polémica, generalizando-se a perceção de que se tratava de uma metáfora, uma crítica acutilante ao regime político e social vigentes e ao snobismo e à hipocrisia da
sociedade. A letra, aparentemente sobre o mundo tauromáquico, era uma crítica velada à decrépita postura ditatorial do Estado Novo, cujos censores não conseguiram identificar. Esta e muitas mais canções e histórias deliciosas, contadas e cantadas na primeira pessoa, esperam o público no Pátio do Museu Municipal de Coruche a 26 de abril.
Fernando Tordo, figura central da música portuguesa, não só conquistou o coração do público, como também deixou uma marca indelével na cultura do País. Nascido em Lisboa em 1948, Tordo começou a sua jornada musical aos 16 anos, tornando-se mais tarde, além de cantor e compositor notável, símbolo da resistência artística durante os tempos sombrios de ditadura.
Colaborou com grandes poetas como Ary dos Santos, cujas letras e melodias se tornaram hinos de liberdade durante longos anos de opressão. Os seus temas foram interpretados por inúmeros artistas de relevo, destacando-se não apenas pela qualidade artística, mas também pela mensagem intrínseca de resistência e esperança. A Câmara Municipal de Coruche convida a população para uma noite especial ao som de Fernando Tordo e de canções que ecoarão pelas margens do tempo, lembrando-nos do passado e inspirando-nos para o futuro.

25 de Abril sempre!

sem comentários

Deixe o seu comentário

por favor, escreva o seu comentário
Por favor, escreva aqui o seu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Fechar
Exit mobile version