Domingo, Junho 16, 2024
InícioCultura & lazerCentro de Interpretação Santarém Militar vai contar a história da EPC e...
banner-complexo-aquático

Centro de Interpretação Santarém Militar vai contar a história da EPC e da presença militar na cidade

O Salão Nobre dos Paços do Concelho da Câmara de Santarém acolheu, no dia 24 de abril, a apresentação do Projeto do CISM – Centro de Interpretação Santarém Militar, a instalar na EPC – Escola Prática de Cavalaria, numa parceria do município de Santarém com o Exército Português.

O historiador Luís Mata apresentou o projeto, perante uma sala repleta que contou com a participação do presidente da Câmara, Ricardo Gonçalves, do vice-presidente João Teixeira Leite, dos vereadores Alfredo Amante, Nuno Domingos e Sofia Martinho,  do Comissário Executivo Adjunto da Comissão Comemorativa dos 50 anos do 25 de Abril, João Faria, do Comandante do Regimento de Manutenção do Entroncamento, Coronel Vieira Saúde, do presidente da União de Freguesias da Cidade de Santarém, Diamantino Duarte, do presidente da Comemorações Populares do 25 de Abril – Associação Cultural, João Luiz Madeira Lopes, do Coronel Joaquim Correia Bernardo, e de Militares de Abril que integraram a Coluna Militar de Salgueiro Maia, entre outros.

O vereador da Cultura, Nuno Domingos, enquadrou a iniciativa no contexto da Cidade e da sua relação com o Exército, procurando sublimar o desgosto sentido com a saída de Santarém da EPC – Escola Prática de Cavalaria, em 2007. Acrescentou que “foi por isso que com o apoio do Exército Português, quisemos recolocar o carro de combate junto à Porta de Armas da antiga EPC e uma placa, assinalando a saída da Coluna Militar, em 25 de abril de 1974”.

Carro de combate colocado em frente da EPC

Nuno Domingos referiu ainda que o “CISM pretende contar a história da EPC e da presença militar, em Santarém” e sublinhou que “os soldados da EPC marcaram a história e a identidade da Cidade”.

Luís Mata, historiador e técnico do Município de Santarém, explicou que este “projeto se baseia numa série de documentos, em vários formatos e suportes que pretendem proporcionar uma experiência enriquecedora aos visitantes, de forma a demonstrar a importância que os militares tinham na Cidade e no Concelho, a nível económico, político, social e cultural”.

Ricardo Gonçalves sublinhou que “este projeto e o MAVU – Museu de Abril e dos Valores Universais vão ser uma mais valia para o aumento da visitação turística, em Santarém”.

A equipa que projeta o CISM

Para além de Nuno Domingos, fazem ainda parte da equipa que elaborou o projeto: Luís Mata e Carlos Amado, funcionários da Câmara de Santarém, José Augusto Rodrigues, arquiteto, José Manuel Santos, Sargento Mor na situação de reserva, e o Coronel Francisco Amado Rodrigues, Diretor do Museu Militar de Lisboa.

Estima-se que ainda este ano estejam reunidas as condições para a abertura do “Centro de Interpretação Santarém Militar”.

“Desde os tempos medievais até às revoluções modernas, o contingente militar deixou uma marca indelével na identidade da Cidade, moldando o seu destino e influenciando profundamente a sua trajetória”.

O contingente militar desempenhou um papel crucial na defesa da cidade, para além de ter exercido uma influência significativa na economia, na sociedade e na cultura.

Na área da economia, tendo em conta que a procura por bens e serviços relacionados com o apoio logístico e a manutenção das tropas, contribuiu para estimular diversos setores, como o comércio, serviços e fornecimento de produtos alimentícios, impulsionando o crescimento económico da região.

Na sociedade, uma vez que a presença de soldados e das suas famílias trouxe uma mistura de culturas, tradições e valores para a cidade de Santarém, enriquecendo o tecido social e promovendo a diversidade.

Luís Mata referiu que “os ideais republicanos e anarcossindicalistas tiveram nos militares um veículo de transmissão privilegiado”.

Na cultura, uma vez que os eventos, desfiles e cerimónias militares, tornaram-se parte integrante do calendário cultural da Cidade, enriquecendo-a com tradições e símbolos militares.

“É esta história militar de guerra e paz que o CISM procurará evidenciar, através duma narrativa museológica inovadora, num espaço configurado para atender às principais funções museológicas, que utilizará uma variedade de recursos: objetos, fotografias, mapas e maquetes.

Luís Mata

Um espaço estruturado com o objetivo de proporcionar aos visitantes uma experiência educativa e enriquecedora, em que vão ter a oportunidade de explorar os detalhes de cada evento histórico, entender o contexto político e social da época e desfrutar das múltiplas leituras que a presença militar teve no espaço urbano de Santarém.

As áreas temáticas a explorar são:

1 – Santarém, formidável praça-forte (1093-1640)

2- Santarém e a Guerra Peninsular (1807-1814)

3- Santarém nas Lutas Liberais e na Guerra Civil (1832 – 1834)

4- A guarnição militar de Santarém (1873-2006)

5- Santarém e a defesa da República (1919)

6- A EPC em Santarém (1955-2006)

7- Salgueiro Maia, o militar e o herói (1944-1992)

Deixe o seu comentário

por favor, escreva o seu comentário
Por favor, escreva aqui o seu nome

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Também pode ler

Subscreva a newsletter

Receba as notícias do dia do jornal Mais Ribatejo diretamente na sua caixa de email.

Artigos recentes

Comentários recentes

pub
banner-união-freguesias-cidade-santarem

Mais Ribatejo _ PopUp _ BolsaRecrutamentoULSETEJO 

banner fna24