fbpx

culto de salazar

Posted on Em Opinião

O medo de uma valente gargalhada

No afamado romance “O Nome da Rosa”, de Umberto Eco, o monge Jorge de Burgos envenena as páginas do perdido segundo volume da Poética de Aristóteles. Pretende, com este acto — e bem-sucedidamente, saliente-se –, que os incautos ledores da obra ingiram a letal substância, ao humedecerem os dedos na língua para proporcionar um ágil… Continue a ler

Ir para Início