Santarém deixa os jovens muito aquém

Em Opinião

O Concelho de Santarém tem perdido população, nomeadamente jovens nos últimos anos[1] , a situação já era grave antes da pandemia covid-19, foi certamente agravada, apesar de ainda não existirem dados oficiais.

Já em 2018 o cenário era preocupante, com um concelho em recessão demográfica e a envelhecer.

Olhando para os dados disponíveis, notamos imediatamente que a juventude nunca é prioridade no concelho, e apenas recebe discursos redondos por parte da vereação com esse pelouro. Em Março de 2020 (últimos dados conhecidos) , o plano municipal de juventude ainda estava “em elaboração”. Ao dia de hoje ainda não conhecemos a conclusão desses trabalhos[2]. Que fazem lembrar a obra da “antiga carreira de tiro”, vai sempre fazer-se , mas nunca se faz…

Apesar de o saldo financeiro da autarquia ter melhorado  entre 2010 e 2018, baixou a despesa com cultura e desporto (áreas essenciais para a juventude) e relembro que Santarém continua a ser uma capital de Distrito sem um grande polidesportivo. A população baixou e o número de idosos por 100 jovens aumentou, e os imóveis desvalorizaram, ou seja , um concelho que em linguagem de gestão “perdeu valor e recursos humanos”.


Consultando o site citado, desce também o número de alunos, a população ativa, e os dados sobre desemprego pós pandemia apresentam uma subida de 19% do desemprego que afeta como sabemos particularmente os jovens[3] .

No país da União Europeia em que 64% dos jovens portugueses vivem em casa dos pais[4] (percentagem que subiu sempre desde 2011, e que piora com a pandemia, sendo Portugal o campeão da Ue). Não vemos por parte da autarquia políticas concretas para inverter a situação, e bem sabemos como em Santarém os problemas são sempre culpa do governo central, das infraestruturas de Portugal, etc, tudo de mau nunca é culpa do atual executivo, mas o que for bom , já o é

Portanto, os jovens escalabitanos recebem da autarquia ideias vagas, debates, e convites a saírem da sua zona de conforto para criarem “clusters”.

Recordo que um estudo da União dos Sindicatos de Santarém disse sobre precariedade entre os jovens do Distrito, ao qual a capital não é alheia: “o retrato da precariedade é transversal a todos os setores e atinge níveis bastante preocupantes no distrito”, com o peso dos contratos a termo a atingir os 33%, com maior incidência nos homens (35%) e nos jovens (mais de 50% até aos 35 anos e 70% no escalão 18-24 anos)[5].

Os Jovens Escalabitanos precisam de políticas ativas de emprego (onde estão?), não de um modelo económico com o qual a autarquia pactua, que os mete a “escolher” entre o auto-emprego(com dívida) e a precariedade. Fato agravado com a chantagem da exploração feita aos migrantes nomeadamente na agricultura que gera pressão negativa sobre os salários, e os afasta desse setor.

Quem não consegue ter uma casa digna, comida e emancipar-se, não quer saber de uma “europa verde e sustentável”, distante e abstrata, até porque nem quem a promove sabe muito bem o que é. Não precisa de chavões retóricos, precisa de empregos, salários dignos.

Provavelmente vamos chegar ao fim do mandato sem o plano municipal de juventude, num concelho em que os governantes apenas se congratulam por pagar a fornecedores a tempo e horas, pouco se importando com o custo social desse objetivo, e com os impactos demográficos.

Para finalizar, o espaço circundante do ipdj é uma boa metáfora da políticas da autarquia sobre juventude, abandono, incúria, desmazelo , falta de brio, e sim uma autarquia também se vê na forma como conserva o seu espaço público, isso também é ideologia. A ideologia que nos governa sabemos qual é, empurrar para o governo todas as críticas, e se não gostam de como está saiam da vossa zona de conforto ou abandonem o concelho.

Luís Martinho

A delegação de Santarém do Instituto da Juventude encontra-se neste estado

[1]    https://www.pordata.pt/Municipios

[2]    https://maisribatejo.pt/2020/03/07/conselho-municipal-da-juventude-debate-europa-verde-e-sustentavel/

[3]    https://www.jornaldenegocios.pt/economia/emprego/detalhe/mapa-desemprego-aumentou-mais-de-50-em-40-concelhos-e-no-seu?utm_medium=Social&utm_source=Facebook&utm_campaign=BotoesSite

[4]    https://sicnoticias.pt/pais/2020-07-15-64-dos-jovens-portugueses-vivem-em-casa-dos-pais

[5]    https://maisribatejo.pt/2019/10/22/estudo-da-uniao-dos-sindicatos-distrito-de-santarem-perde-populacao-postos-de-trabalho-e-poder-de-compra/

Leave a Reply

Recentes de Opinião

As ladradeiras

O termo ladradeira significava e talvez ainda signifique pessoa alarve na linguagem,…

De Medina a Moscovo

Basta estarmos ligeiramente atentos ao mundo que nos rodeia para sabermos o…

Ir para Início
%d bloggers like this: